Crescimento fraco em Gaza e Cisjordânia prejudica empregos

A expectativa é de que o crescimento na Cisjordânia desacelere para 2% neste ano. Enquanto isso, a Faixa de Gaza pode registrar um crescimento de 6,5%

Nova York - A atividade econômica neste ano na Cisjordânia e na Faixa de Gaza é insuficiente para impulsionar a criação de novos empregos, afirmou o Fundo Monetário Internacional (FMI). A expectativa é de que o crescimento na Cisjordânia desacelere para 2% neste ano, ante 5% em 2014. Enquanto isso, a Faixa de Gaza pode registrar um crescimento de 6,5%, seguindo os projetos de reconstrução após a guerra do ano passado.

"O crescimento real do Produto Interno Bruto na Cisjordânia e em Gaza é estimado em 3% em 2015, o que não é suficiente para absorver novos participantes no mercado de trabalho", alertou o FMI. A taxa de desemprego continua alta, em 42% em Gaza e 16% na Cisjordânia. Além disso, a Autoridade Palestina deve registrar um déficit de financiamento de cerca de US$ 0,5 bilhão em 2014, o que corresponde a cerca de 4% do PIB. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.