Economia

China e Brasil fecham acordo para uso de iuane em transações comerciais

A China tem negócios semelhantes com a Rússia, Paquistão e vários outros países

Iuane: moeda chinesa será trocada diretamente por real (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)

Iuane: moeda chinesa será trocada diretamente por real (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 30 de março de 2023 às 18h20.

Última atualização em 30 de março de 2023 às 18h28.

A China e o Brasil chegaram a um acordo de negociação para transações comerciais em suas próprias moedas, abandonando o dólar americano como intermediário, informou o governo brasileiro na quarta-feira, 29.

O acordo permitirá à China, a segunda maior economia do mundo, e ao Brasil, a maior economia da América Latina, realizar suas transações comerciais e financeiras maciças diretamente, trocando iuane por real, e vice-versa, em vez de passar pelo dólar.

O Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) e o Banco de Comunicações BBM executarão as transações, disseram as autoridades. O acordo foi anunciado após um fórum de negócios de alto nível China-Brasil, em Pequim.

“A expectativa é que isso reduza os custos, promova ainda mais o comércio bilateral e facilite os investimentos”, disse a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) em um comunicado.

China: maior parceiro do Brasil

A China é o maior parceiro comercial do Brasil, com um recorde de US$ 150,5 bilhões em comércio bilateral em 2022.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha agenda oficial para participar do fórum como parte de uma visita à China, mas teve de adiar sua viagem no domingo, após recomendação médica.

A China tem negócios semelhantes com a Rússia, Paquistão e vários outros países.


Tradução: Mei Zhen Li
Fonte: National Business Daily

Acompanhe tudo sobre:Chinaeconomia-brasileiraeconomia-internacional

Mais de Economia

STF retoma hoje julgamento de ações que questionam pontos da Reforma da Previdência de 2019

Exclusivo: Sky fecha parceria com Amazon para vender internet por satélite no Brasil

STF decide que Receita não pode cobrar tributação do terço de férias antes de agosto de 2020

Mais na Exame