A página inicial está de cara nova Experimentar close button

BC da China diz que política monetária pode ser apertada em 2017

Assessor do banco explicou que não haveria motivos para mais afrouxamentos, especialmente dada a volatilidade do câmbio e a alta da inflação

Pequim - A China pode apertar a política monetária no próximo ano para reduzir os riscos à economia, incluindo a volatilidade do câmbio, a alta da inflação e o mercado imobiliário, afirmou um assessor do banco central do país segundo o jornal estatal China Business News.

Sheng Songcheng, assessor do Banco do Povo da China, afirmou que as declarações de líderes chineses na sexta-feira de que vão manter as condições monetárias "prudentes e neutras" em 2017 sugerem que a política monetária está atualmente frouxa demais.

"Minha impressão pessoal é de que a atual política monetária pode estar um pouco frouxa demais", disse Sheng, de acordo com a edição desta segunda-feira do jornal.

Sheng explicou que não haveria motivos para mais afrouxamento no próximo ano, especialmente dada a volatilidade do câmbio e a alta da inflação. Ele também citou os mercados acionário e imobiliário como riscos, mas não deu mais detalhes.

Sheng enfatizou ainda que a política monetária não será "apertada demais" também, já que isso levaria a turbulências no mercado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também