São Paulo começa a vacinar idosos acima de 75 anos nesta segunda

Ao todo, 3,8 milhões de doses da vacina já foram aplicadas no estado; no Brasil, vacinação se aproxima de 10 milhões

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia. 

A campanha de vacinação contra a covid-19 tem sido ampliada aos poucos no país. Nesta segunda-feira, o estado de São Paulo começa a vacinar os idosos acima de 75 anos, em um esforço para proteger a população mais velha e mais vulnerável.

De acordo com o governo paulista, o estado tem cerca de 420.000 pessoas com 75 e 76 anos nos 645 municípios e eles podem receber a primeira dose do imunizante. Na capital, a vacinação tem início nesta segunda, mas algumas cidades do estado se adiantaram e já começaram a aplicar as doses para essa faixa etária.

Ao todo, o estado de São Paulo aplicou cerca de 3,8 milhões doses da vacina, segundo o último boletim da Secretaria estadual da Saúde atualizado na noite de ontem. O número pessoas que tomaram as duas doses, porém, é de apenas pouco mais de 1 milhão, o que equivale a pouco mais de 2,3% da população do estado. Na capital, 814,4 mil pessoas tomaram a primeira dose e 297,8 mil, a segunda – o que é um número baixo para reduzir as infecções pelo coronavírus.

No restante do país, a situação é semelhante. O Brasil se aproxima de atingir o número de 10 milhões de pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina. Até a noite de ontem, a quantidade estava em 9,7 milhões, de acordo com o último boletim do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. O Amazonas é o estado mais adiantado na vacinação. Ao todo, 8% da população amazonense recebeu pelo menos uma dose do imunizante.

Enquanto a vacina caminha a passos lentos, a doença continua se espalhando em ritmo acelerado e fazendo um número alto de vítimas no país. No domingo, o país registrou 1.111 novas mortes pela doença, chegando a um total de 278.327 vítimas. Foram registrados ainda 43.781 novos casos confirmados da doença nas últimas 24 horas.

Ontem, o estado de São Paulo atingiu a marca de 10.000 pacientes internados em UTIs nos hospitais para tratamento da covid-19, um recorde. Cerca de 88% das UTIs disponíveis estão ocupadas no estado, e 90%, na Grande São Paulo.

A situação dramática de alta de casos e vacinação lenta no Brasil contrasta com a de outros países, como os Estados Unidos. No fim de semana, o país bateu pela primeira vez o número de 100 milhões de doses aplicadas. Ao todo, 21% da população americana já recebeu uma dose da vacina, e 11% estão completamente vacinadas. A quantidade de novos casos e de mortes diárias pela doença continua alta, mas tem caído em ritmo acelerado. O número de óbitos caiu 31% nos últimos 14 dias, de acordo com os dados compilados pelo jornal The New York Times. É um cenário que dá esperança, mas que depende de uma vacinação mais acelerada e das medidas de isolamento social e restrição de circulação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.