Casual

Zinco colabora na redução da gordura e combate a obesidade

Segundo médica, elemento ajuda na liberação do hormônio de crescimento e estimula a atividade normal da insulina


	Médica alerta para a importância de consumir alimentos como ostras, germe de trigo, carne vermelha, fígado, ricota, amendoim, queijo, arroz integral, leite e ovos
 (Rob Owen-Wahl / Stock Xchng)

Médica alerta para a importância de consumir alimentos como ostras, germe de trigo, carne vermelha, fígado, ricota, amendoim, queijo, arroz integral, leite e ovos (Rob Owen-Wahl / Stock Xchng)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de maio de 2013 às 12h28.

São Paulo - O zinco desempenha um papel importante na manutenção do metabolismo. Para Sylvana Braga, nutróloga, reumatóloga, fisiatra e especialista em prática ortomolecular "além de atuar na liberação do hormônio de crescimento, estimula a atividade normal da insulina, colabora no bom funcionamento do sistema imunológico, participa da síntese e degradação dos carboidratos, lipídios e proteínas, e tem função antioxidante. Sua maior concentração está no fígado, pâncreas, ossos e músculos."

Segundo a autora do livro “Dieta Ortomolecular – dieta natural para emagrecimento saudável e evitar definitivamente o efeito sanfona", o mineral também tem participação no controle do apetite, já que regula a produção e secreção da leptina, hormônio produzido pelo organismo para esta função, responsável por armazenar a gordura e indicar ao fígado o trabalho que ele deve fazer.

"Assim a substância produzida acaba elevando a queima calórica ao mesmo tempo em que diminui a ingestão alimentar. Sabe-se que em indivíduos obesos os níveis de leptina são cerca de cinco vezes maiores que os encontrados em pessoas magras 1."

Ainda sobre o tema, sabe-se também que a deficiência de zinco reduz os níveis de leptina, enquanto o excesso desse hormônio reduz a taxa do mineral no sangue, por isso, sugere-se à pacientes obesos o acréscimo de zinco em uma dieta com restrição no consumo de calorias para reduzir a gordura corporal.

"Uma alimentação rica em fibras pode diminuir a absorção deste micronutriente, que compete com o cálcio, o ferro e o fósforo. Por isso é importante consumir alimentos como ostras, germe de trigo, carne vermelha, fígado, ricota, amendoim, queijo, arroz integral, leite e ovos", finaliza a médica.

Acompanhe tudo sobre:Alimentos funcionaisDietasEmagrecimentoGorduraSaúde e boa forma

Mais de Casual

Um por mês e sem hora para acabar. Pesquisa mostra como é o churrasco do brasileiro

Vermute dry brasileiro é eleito o melhor do mundo em concurso internacional

Tênis da Nespresso: conheça o modelo Re:Ground feito com borra de café

Jato queridinho dos brasileiros: fabricante abre centro de manutenção próximo a São Paulo

Mais na Exame