Por polêmicas recentes, Ezra Miller pode perder papel do super-herói Flash em futuros filmes da DC

Ator foi acusado de assediar uma criança de 12 anos e recebeu uma ordem temporária de prevenção
O ator Ezra Miller. (Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic/Getty Images)
O ator Ezra Miller. (Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic/Getty Images)
Por Agência O GloboPublicado em 20/06/2022 10:01 | Última atualização em 20/06/2022 10:01Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O papel do super-herói Flash, da DC Comics, produzido no cinema pela Warner Bros, pode estar com os dias contados para Ezra Miller, de 29 anos, acusado de vários crimes, como uma recente alegação de assédio contra uma criança de 12 anos, agressão e ameaça, incluindo registros de duas prisões no Havaí em março e em abril deste ano.

Fontes disseram ao portal Deadline que o estúdio "provavelmente" não manterá o ator como Barry Allen em futuros filmes da DC mesmo que não surjam novas polêmicas.

No entanto, seu papel seria mantido no primeiro filme The Flash, considerando o investimento de US$ 200 milhões já realizado em sua produção.

“Não há vitória nisso para a Warner Bros”, disse uma fonte do estúdio ao Deadline na sexta-feira, dia 17. “Este é um problema herdado para Zaslav [CEO da Warner Bros Discovery]. A esperança é que o escândalo permaneça em um nível baixo antes do lançamento do filme, e esperamos que o melhor aconteça”.

Com isso, o portal Deadline elencou algumas das opções que David Zaslav tem a sua disposição com relação a Ezra Milller: "promover fortemente o filme do verão de 2023", permitindo que Miller aparecesse em "algumas publicidades", mas não participasse de "nenhuma turnê", ou relegar o filme ao streaming e reduzir o valor nominal das ações, ou ainda "tornar o filme um sucesso" e, em seguida, deixar Miller para trás "se não conseguirem endireitar as coisas".

As polêmicas de Ezra Miller

De acordo com o portal Daily Beast, Miller foi alvo de uma ordem temporária de prevenção de assédio na última semana após ser acusado pela mãe de uma criança de 12 anos. Miller teria ameaçado a família e agido de forma inadequada em relação à criança não-binária.

Ainda neste mês, os pais de Tokata Iron Eyes, hoje com 18 anos, entraram com um pedido de medida protetiva contra o ator em nome de sua filha, acusando Miller de agredi-la e drogá-la desde que era adolescente.

Segundo documentos obtidos pelo site TMZ, os pais de Tokata argumentam que a garota conheceu o ator em 2016, quando tinha apenas 12 anos. No ano seguinte, Ezra levou a jovem, fã do universo “Harry Potter”, para visitar o set de filmagens de “Animais fantásticos e onde habitam”. Na ocasião, ele teria fornecido álcool, maconha e LSD para Tokata.

Ezra tem sido figura presente na vida de Tokata desde então, em uma amizade considerada problemática pela família da garota. Em 2021, ela teria desistido de seus estudos por causa de Miller.

Em janeiro deste ano, os pais foram buscar a filha na casa de Miller, em Vermont, nos Estados Unidos, quando notaram hematomas no corpo da garota. Eles também descobriram que ela não tinha acesso a sua carteira de motorista, chaves do carro, cartão de banco e outros documentos importantes.

“Ezra usa violência, intimidação, ameaça de violência, medo, paranoia, delírios e drogas para dominar a jovem”, diz o documento.

Também neste mês, ele excluiu sua conta do Instagram, mas pouco antes, seu perfil fez postagens zombando da situação em que foi considerado como foragido pelas autoridades. Ele divulgou frases como: “Você não pode me tocar, estou em outro universo” e “Mensagem de outra dimensão”.

Além disso, o ator foi preso duas vezes no Havaí neste ano. A primeira foi após uma briga num karaokê em março, quando ele teria ficado "agitado", segundo a polícia, enquanto os clientes cantavam "Shallow", do filme "Nasce Uma Estrela", de Lady Gaga e Bradley Cooper. Miller teria xingado e pego o microfone da mão de uma jovem de 23 anos, além de ter agredido um homem de 32 anos. O dono do bar teria pedido que ele se acalmasse, sem sucesso. O ator pagou fiança de US$ 500 e foi liberado.

Já a segunda prisão foi por agressão de segundo grau um mês depois, quando ele teria jogado uma cadeira em uma mulher, cortando sua testa, durante uma festa.

O casal que estava com Miller num albergue entrou com uma ordem de restrição contra o ator depois que ele voltou para casa do karaokê e ameaçou “enterrá-los”. Miller teria também roubado o passaporte da mulher e a carteira do marido dela. Em meados de abril, a ordem de restrição foi retirada.

Outro episódio aconteceu em abril de 2020, quando repercutiu um vídeo que parecia mostrar Miller sufocando uma mulher e jogando-a no chão em um bar em Reykjavik, na Islândia.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.