Casual

O Ford Bronco é um carro desconstruído no másculo universo dos SUVs

Quando o modelo foi lançado, nos anos 1960, o ícone da masculinidade era Steve McQueen. Mas a nova versão combina mais com Harry Styles

Ford Bronco: resistência, tecnologia e conforto (Ford/Divulgação)

Ford Bronco: resistência, tecnologia e conforto (Ford/Divulgação)

Ivan Padilla
Ivan Padilla

Editor de Casual e Especiais

Publicado em 26 de fevereiro de 2023 às 06h30.

Última atualização em 30 de novembro de 2023 às 11h47.

Que cor você imagina para um SUV chamado Bronco? Preto, certamente. Talvez verde-oliva. Grafite, chumbo e outros tons mais sóbrios. Pois cada vez pode-se ver mais unidades desse modelo nas ruas em tonalidades chamativas, com nomes como Laranja Dehli e Azul Malacara.

Os carros coloridos de modelo da Ford são alegres pontos de luz em meio aos veículos prata, preto e branco que têm dominado a indústria automotiva nos últimos anos.  Remete aos anos 1970 e 1980, quando as ruas eestavam cheias de Volkswagens, Fiats e GMs verdes, vermelhos, amarelos.

Testei um Bronco modelo Wildtrak, topo de linha do modelo, durante uma viagem de São Paulo ao Rio de Janeiro durante o Carnaval. A impressão geral: trata-se de um carro com alto padrão de sofisticação, segurança e tecnologia. Apesar de trafegar bem no off-road, traz bastante conforto e ótimo isolamento acústico.

O nome não condiz com a delicadeza dos acessórios e acabamento. Apesar de entregar força e da boa resposta à aceleração, o Bronco é um carro desconstruído no másculo universo dos SUVs.

Steve McQueen ou Harry Styles?

Quando foi lançado, em 1966, o Ford Bronco era um carro realmente bruto, com formato quadrado, chassi reforçado, suspensões robustas, mecânica descomplicada e tração nas quatro rodas. Talvez fosse o equivalente no Brasil à nossa Rural.

Era o que havia de tecnologia na época e tratava-se da proposta do carro. Em um paralelo, o ícone de masculinidade então era Steve McQueen, um ator que também pilotava carros e motos no seu tempo livre, astro de filmes de ação como A Grande Escapada, de 1963, e Bullitt, de 1968. Um homem bonito de feições duras, apelidado então de O Rei do Cool.

O Bronco foi descontinuado em 1996 e relançado em 2021, com outra proposta. Um carro potente e sofisticado ao mesmo tempo, lançado em uma época em que a referência para a geração Z é o estiloso Harry Styles.

O ator e cantor veste saia e aparece com unhas pintadas em eventos e ensaios de moda. Para a revista Dazed, ele posou em cima de uma moto BMW custom, cheio de pose – ainda que com uma pantalonada e um top recortado.

Na pedra, na lama, na areia

O novo Bronco é um carro potente e permite fazer ultrapassagens com segurança na estrada. Segundo a Ford, o veículo precisa de 8 segundos para chegar aos 100 quilômetros por hora, um número considerável se levarmos em conta o peso do veículo, de 1,7 tonelada.

Mérito do motor 2.0 EcoBoost turbo com injeção direta com 253 cv. É um carro pensado para o off road. A função 4x4 Lock promove uma boa tração para superar terrenos mais acidentados.

São sete seletores de modos de tração, que a Ford chama de G.O.A.T. Modes. São eles Normal, Eco, Escorregadio, Esportivo, Lama, Areia, Pedras. Sim, bastante específicos.

A potência cobra seu preço. O rendimento foi de aproximadamente 9 quilômetros por litro em São Paulo e no Rio de Janeiro. Na estrada o carro fez por volta de 13 quilômetros por litro.

É, portanto, um SUV legítimo, pensado para o uso fora do asfalto.  O porta-malas dispõe de uma série de acessórios de conveniência, como tomada de 110V, luzes direcionáveis, ganchos, uma mesinha dobrável e até um abridor de garrafas.

Ford Bronco

Ford Bronco: sete modos de condução para pisos diferentes (Ford)

Som de primeira e segurança reforçada

A força bruta do Bronco vem embalada em dispositivos tecnológicos e muito conforto a bordo. O aplicativo FordPass permite acessar diversas funcionalidades do veículo remotamente, como o travamento e destravamento de portas, partida remota com acionamento do ar-condicionado, localização do veículo e alerta de acionamento do alarme. 

O pacote de conectividade do Bronco Sport com quatro portas USB e carregador de celular por indução no console central. A central multimídia SYNC 3 possui uma tela sensível ao toque de 8 polegadas e conta com comando de voz para telefone, ar-condicionado, áudio, navegação, Apple CarPlay e Android Auto.

 O modelo é equipado com Bang & Olufsen, sistema de áudio com 1.000W de potência, dez alto-falantes e subwoofer. A segurança é reforçada. O Bronco vem com nove airbags e sistemas de radar e câmeras de última geração que ajudam a evitar acidentes e tornam o passeio mais tranquilo.

 Entre as tecnologias semiautônomas estão o assistente autônomo de frenagem com detecção de pedestre, piloto automático adaptativo com Stop & Go e tecnologia que ajusta automaticamente a velocidade para manter sempre uma distância segura entre o carro e o veículo da frente.

Um carro com história

O Ford Bronco teve seis gerações, de 1966 a 1996, até ser descontinuado. O modelo foi relançado em abril de 2021, já com essa nova proposta de trazer o melhor dos dois mundos, a lama e o asfalto. É importado do México e tem hoje o preço recomendado de 267.900 reais.

O modelo ganhou fama em 1994, ao ser usado na famosa e televisionada fuga de O. J. Simpson ao ser acusado do homicídio de sua ex-esposa Nicole Brown, em Los Angeles.

Agora, o Bronco chamou bastante atenção por causa do tom em azulão do modelo que testei. Mas isso principalmente em São Paulo. No Rio, encontrei um rival à altura em termos de cor: os famosos táxis amarelos com a faixa azul pintada na lateral. Mas ainda prefiro o Bronco.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.

Acompanhe tudo sobre:FordSUVCarnaval

Mais de Casual

Resort do Four Seasons nas Bahamas é repaginado por Jacquemus

Tadáskía: o novo nome brasileiro presente no MoMA

Conheça o laboratório subterrâneo de Paris que revela os segredos das obras de arte

Disney planeja grandes investimentos para parques temáticos

Mais na Exame