Acompanhe:

Michael Jackson temia não ter saúde para shows em Londres

O cantor morreu quando ensaiava o espetáculo "This Is It", uma série de 50 shows em Londres a partir de julho de 2009

Modo escuro

Continua após a publicidade
O doutor Allan Metzger foi durante alguns anos 'o principal médico' de Michael Jackson e visitou a casa de cantor poucos meses antes de sua morte: "me contou do seu entusiasmo, mas também do medo que sentia"
 (Paul Buck/AFP)

O doutor Allan Metzger foi durante alguns anos 'o principal médico' de Michael Jackson e visitou a casa de cantor poucos meses antes de sua morte: "me contou do seu entusiasmo, mas também do medo que sentia" (Paul Buck/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 25 de outubro de 2011 às, 09h06.

Los Angeles - Michael Jackson estava "preocupado" com sua saúde e temia não ter a condição física necessária para dar 50 shows em Londres, como estava previsto, revelou nesta segunda-feira um de seus médicos, durante o julgamento do doutor Conrad Murray.

Na quinta semana do julgamento de Murray por homicídio culposo de Jackson, na Corte Superior de Los Angeles, o doutor Allan Metzger revelou ter sido durante alguns anos "o principal médico" do astro pop e de seus filhos, e que visitou a casa de cantor em 18 de abril de 2009, pouco mais de dois meses antes de sua morte, em 25 de junho.

"Queria me falar dos problemas de saúde (...). Estava emocionado (...). Me contou do seu entusiasmo, mas também do medo que sentia" com os shows em Londres.

Michael Jackson morreu quando ensaiava o espetáculo "This Is It", uma série de 50 shows em Londres a partir de julho de 2009.

"Tinha medo porque era uma grande responsabilidade e não queria fazer um mau trabalho. Estava preocupado com sua alimentação, queria estar saudável".

Metzger confirmou que Michael Jackson, que morreu aos 50 anos, sofria de problemas de insônia "há algum tempo".

Segundo o médico, Jackson lhe pediu "um medicamento para dormir" administrado por via intravenosa.

A autópsia revelou que Michael Jackson morreu por "grave intoxicação" de propofol, um poderoso sedativo usado como sonífero e que era administrado por Conrad Murray.

Metzger informou ao tribunal que se negou a prescrever um medicamento intravenoso: "Disse a ele que nenhum anestésico deve ser administrado via intravenosa fora de um hospital".

Últimas Notícias

Ver mais
Embaixador coreano faz sucesso ao cantar 'Trem das Onze'; veja vídeo e entenda a origem da canção
Pop

Embaixador coreano faz sucesso ao cantar 'Trem das Onze'; veja vídeo e entenda a origem da canção

Há 19 horas

Justiça reconduz presidente do Conselho de Administração da Petrobras
Brasil

Justiça reconduz presidente do Conselho de Administração da Petrobras

Há 22 horas

Efeito Beyoncé: vendas de botas cowboy cresceram 45% após lançamento de álbum
Casual

Efeito Beyoncé: vendas de botas cowboy cresceram 45% após lançamento de álbum

Há um dia

Edson Vismona: devedoras contumazes e a evasão fiscal como negócio
Um conteúdo Bússola

Edson Vismona: devedoras contumazes e a evasão fiscal como negócio

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais