Flora Matos, a nova aposta do rap nacional

A jovem rapper de Brasília caiu nas graças de Mano Brown, líder dos Racionais MC’s e principal nome do hip-hop brasileiro
Flora Matos diz escrever cerca de 100 músicas por ano (Creative Commons)
Flora Matos diz escrever cerca de 100 músicas por ano (Creative Commons)
J
José Flávio JúniorPublicado em 16/04/2012 às 15:19.

São Paulo - Com apenas 13 anos, a brasiliense Flora Maia Matos recebeu um convite para cuidar do camarim que abrigaria os quatro integrantes dos Racionais MC’s. O trabalho consistia em organizar as bebidas e os lanchinhos que o grupo paulistano de rap consumiria antes e depois de um show na capital do país. Quando Mano Brown e sua turma adentraram o espaço, Flora passava manteiga nos pães. Embora já suspeitasse que trilharia o caminho da música, a garota não podia imaginar que, uma década após o inusitado encontro, viraria parceira do próprio Brown. Juntos, escreveram uma canção inédita, ainda sem título. Principal voz e maior letrista do hip-hop nacional, o cantor assinou até agora pouquíssimas composições com mulheres.

Àquela noite, Flora Matos, que não desgrudava do violão, levou o instrumento para o camarim. Na primeira oportunidade, dedilhou algumas músicas de sua autoria. O som não tinha nada a ver com o universo do rap. Mesmo assim, chamou a atenção de Milton Sales, então empresário do grupo, que mais tarde a presenteou com alguns CDs de hip-hop. Ela não possuía discos do gênero na época. Tão logo escutou os que acabara de ganhar, sentiu que sua vida mudaria.

Filha do instrumentista baiano Renato Matos, criador da banda Acarajazz, Flora tem 23 anos e começou a cantar aos 4. Aos 16, já atuava profissionalmente como MC. E, aos 18, trocou Brasília por São Paulo. Pouco a pouco, suas rimas invadiram festas, shows do coletivo Instituto e do grupo RZO, batalhas de improviso e a internet. Hoje, a rapper calcula escrever cerca de 100 músicas por ano.

Em 2011, graças à mixtape Flora Matos vs. Stereodubs, a artista decolou. Pretin, sua composição mais famosa, gerou um clipe com coreografias sensuais e acabou indicada para o VMB, a premiação da MTV, na categoria Hit do Ano. A rapper não venceu, mas dividiu um número com Marcelo D2 durante a entrega dos troféus. Em 2012, planeja lançar um álbum duplo. Um dos discos se chamará Do Lado de Flora, e o outro, Flora de Controle. “O primeiro terá canções mais íntimas, de amor. O segundo vai reunir desabafos e reivindicações”, antecipa.

Nas palavras de Mano Brown, Flora é quem melhor conseguiu fundir o rap à música brasileira. “Ela mescla os gêneros de maneira natural, sem forçar a barra, sem marketing”, avalia. O líder dos Racionais também admira os flertes da cantora com o ragga e outras vertentes jamaicanas. “Não me preocupo em definir o meu estilo. Sei que tenho talento para fazer diversos tipos de música, do rap ao funk e à bossa nova. Sou uma MC, cantora e compositora de alma aberta”, proclama Flora, com o mesmo atrevimento da adolescente que, um dia, tocou violão no camarim de Brown.