Fasano Trancoso: o resort pé na areia e sem canteiro de grama

Massagem com óleo da Polinésia, dois restaurantes com selo Fasano e deque com piscina de frente para o mar são atrações do hotel no incensado balneário
 (Daniel Pinheiro/Divulgação)
(Daniel Pinheiro/Divulgação)
Por Ivan Padilla, de TrancosoPublicado em 13/03/2022 06:30 | Última atualização em 13/03/2022 10:58Tempo de Leitura: 7 min de leitura

O novo hotel Fasano em Trancoso não tem grama. Pode procurar. Não há grama nos canteiros das alamedas da propriedade, na frente dos 40 bangalôs, perto das duas piscinas, em volta dos dois restaurantes. Nem uma folha sequer. No paisagismo estão apenas as plantas nativas do sul da Bahia, como bromélias e carnaúba, uma preocupação com a integração com a natureza local.

“Se os bangalôs desaparecessem de uma hora para a outra, a área continuaria completamente em harmonia com a vegetação em volta. Seria como se nunca tivesse existido uma construção”, diz o turco Mety Ahmet Aricioglu, o simpático gerente geral do mais novo hotel do Fasano, marca do grupo JHSF, inaugurado no fim de dezembro passado.

E que natureza. Os bangalôs estão distribuídos por um terreno de 300 hectares, dos quais 100 são área de preservação ambiental. O projeto de arquitetura de Isay Weinfeld faz conexão entre construção e vegetação, com muito uso de madeira local e de piaçava na cobertura dos telhados dos bangalôs.

 Na praia de Itapororoca

A Casual EXAME publicou em primeira mão a aguardada abertura do Fasano Trancoso. Naquele momento, em meados de dezembro, a construção ainda estava em obras, cercado por tapumes – nem a população local havia visto as dependências. No mês passado, pudemos conhecer ao vivo as atrações do nono hotel do grupo.

O hotel de Trancoso fica na praia de Itapororoca, mas isso não quer dizer muita coisa. As praias de Trancoso vão trocando de nome, mas as mudanças são sutis. É como se fosse tudo uma coisa só, uma enorme extensão de areia em frente ao mar sempre calmo, sempre quente, cercado de mata atlântica.

Importante dizer que o hotel fica a quatro quilômetros do Quadrado, o incensado centro de Trancoso. Pode-se ir para lá pela praia e depois subindo a encosta, até chegar ao platô onde ficam as lojas e os restaurantes, uma boa caminhada de uns 40 minutos. Ou pode-se ir pela estrada, metade terra, metade asfalto, em um carro alugado ou com serviço de táxi local.

Essa proximidade com o Quadrado e as experiências oferecidas aos hóspedes do hotel fazem do Fasano um hotel perfeito para uma estadia mais do que confortável, mas também na medida para passar o dia fora.

 Spa, piscina, stand up

O Fasano Trancoso pode ser considerado o primeiro hotel completamente pé na areia do grupo. O resort de Angra dos Reis também fica na praia, mas as águas em frente são usadas como marina para barcos. Alguns quartos ficam nos andares superiores e precisam de elevador para o acesso.

Aqui, todos os bangalôs dão para o mar. A maior parte conta com um terraço privativo, com chuveiro e espreguiçadeiras. Um enorme deque de 500 metros separa os quartos da praia. Nesse platô de madeira fica uma piscina pequena e a piscina olímpica, com uma novidade: a presença de alguns recuos com escadinha, onde uma família ou um grupo de amigos pode ficar sentado com parte do corpo dentro da água, tomando um drinque.

Terraço sobre o bangalô no Fasano Trancoso

Terraço sobre o bangalô no Fasano Trancoso: privacidade (Daniel Pinheiro/Divulgação)

Os esportistas contam com empréstimo de pranchas de stand up paddle, canoas havaianas e bicicletas do tipo fatbike, com pneus bem largos próprios para pedalar na areia. O ponto negativo é o horário de funcionamento. A retirada dos equipamentos acontece só depois de 9h30 da manhã, quando o sol do sul da Bahia muitas vezes já está queimando.

Peixe grelhado e pinot grigio

Não dá para falar de Fasano sem mencionar o restaurante. No caso, os dois restaurantes. Quem comanda a cozinha é o chef Zé Branco, que já passou por outras casas do grupo. O restaurante principal traz todos os clássicos da gastronomia italiana, no mesmo padrão do Fasano São Paulo, com destaque para os frutos do mar.

O segundo restaurante fica na beira do mar, a 500 metros de lá, debaixo da sombra de uma enorme amendoeira. Por lá, os destaques são os grelhados. Ótima opção para um almoço mais leve com peixes, lulas e camarões, regado a caipirinhas de frutas locais como cambuci ou um pinot grigio gelado da marca da casa.

E o spa... ah, o spa. O wellness center, para ficar no termo em inglês, oferece terapias diversas. Um dos tratamentos é uma massagem completa de duas horas com ênfase no rosto e na cabeça, com uso de um óleo extraído da Flor de Tiare, nativa não da mata atlântica local, mas da Polinésia Francesa.

Segundo as massoterapeutas do wellness center, o extrato da planta polinésia de aroma doce ajuda na regeneração da pele e dos fios capilares e reestabelece brilho e maciez. Não sei avaliar bem esse efeito. Mas posso dizer que a massagem realmente leva você para outro estado de consciência.

Trufas e Chablis

O Fasano Trancoso oferece entretenimento, gastronomia e descanso para muitos dias. Mas acredite: já no segundo dia você vai querer sair. “Incentivamos as pessoas a ficar fora”, diz o gerente Mety. “Eles podem comer um acarajé que de repente a gente não tem, ir para outras praias, encontrar amigos. Trancoso tem muitas opções de diversão.”

É tentador saber que se está tão perto do Quadrado, onde há de tudo. Lá estão supermercados populares e toda noite os pseudo-hippies locais montam a tradicional feirinha de artesanato. Em restaurantes caseiros a quilo pode-se comer uma refeição completa por 30 reais.

Ao mesmo tempo, o local conta com todas as lojas sofisticadas de roupa de praia, como Lenny Niemeyer, Osklen e Barthelemy, além de Martha Medeiros, Carmin e diversas outras. No Empório Le Marché encontra-se o que há de mais sofisiticado: trufas brancas, brie, caviar, champanhe Taittinger, rótulos variados de Chablis.

Se você quiser comer uma pizza no padrão das melhores de São Paulo, o Maritaca tem, ao preço de 150 reais em média por uma individual. Quer comer um menu da Carla Pernambuco? O Jacaré do Brasil trouxe um cardápio elaborada pela chef nesta temporada. E agora, claro, há o Fasano.

Entre o Uxua e o Club Med

Trancoso é um lugar curioso. Quem é famoso se esconde em alguma das 200 casas de alto padrão no entorno de 40 quilômetros, a maior parte delas disponível para locação durante quase todo o ano. Quem é anônimo gosta de circular no Quadrado. E bastante.

O valor da diária é uma barreira para a frequência, claro, mas não foge do alto padrão da região, com diárias começando em 2.000 reais, dependendo do dia da semana e da época do ano.

O Fasano Trancoso se posiciona como uma opção única de hospedagem na região. Tem atendimento premium, como as pousadas butique da região, a exemplo do Uxua, do Villas de Trancoso e do Tangará, com poucos quartos. Com 40 bangalôs, no entanto, é possível desfrutar de certa privacidade.

Ao mesmo tempo não é grande como o Club Med ou o Terra Vista, que conta com um aeroporto e com o Teatro l’Occitane, com dois auditórios e capacidade para 2.000 pessoas. Perto desses, o Fasano é um hotel bem mais low profile, mais reservado, tranquilo. Mas até certo ponto. Difícl esquecer que estamos em Trancoso.