Exposição de Star Wars faz visitante optar por lado da Força

A mostra leva o visitante a uma galáxia muito, muito distante para traçar a própria jornada e também acompanhar a trajetória de Anakin e Luke Skywalker

	Star Wars: ao iniciar a viagem, o explorador-visitante recebe uma pulseira eletrônica na qual serão gravadas todas as decisões tomadas
 (Neil Hall / Reuters)
Star Wars: ao iniciar a viagem, o explorador-visitante recebe uma pulseira eletrônica na qual serão gravadas todas as decisões tomadas (Neil Hall / Reuters)
Por Antonio Sánchez SolísPublicado em 03/02/2016 12:55 | Última atualização em 03/02/2016 12:55Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Viena - Se Darth Vader estendesse a mão, você se renderia ao lado negro da Força? Essa e outras perguntas precisam ser encaradas por quem visitar a exposição Star Wars Identities, até o dia 16 de abril, no Museu MAK de Viena.

A mostra leva o visitante a uma galáxia muito, muito distante para traçar a própria jornada e também acompanhar a trajetória de Anakin e Luke Skywalker, pai e filho, vilão e herói, analisando como as diferentes escolhas influenciaram nos destinos dos personagens.

"Aprendemos a conhecer melhor suas personalidades e, ao mesmo tempo, a nós mesmos", explicou Jaques-André Dupont, representante da X3 Productions, a empresa responsável pela exposição.

Ao iniciar a viagem, o explorador-visitante recebe uma pulseira eletrônica na qual serão gravadas todas as decisões tomadas e que formarão um personagem final.

A primeira escolha é qual será a raça do personagem criado, a que o visitante mais se identificar: humana, ewok, wookiee ou qualquer outra entre as 15 opções disponíveis. A partir daí, a viagem dos Skywalker caminha paralelamente com a do personagem inventado.

Desde o planeta em que o visitante escolhe nascer, o destino é traçado de acordo com as decisões tomadas, como o uso ou não da violência em determinadas situações. O exemplo disso é mostrado com as vidas de Anakin e Luke, ambos nascidos em Tatooine.

Todas as informações são gravadas na pulseira, como detalhes da aparência, costumes da espécie, o tipo de educação, a criação dos pais, eventos traumáticos, amigos, professores e desafios.

As decisões durante a exposição são tomadas enquanto os visitantes observam a evolução de Anakin e a Luke através de cenas dos seis filmes das duas primeiras trilogias.

A exposição explica os elementos genéticos, de educação e ambiente que definem a personalidade, com vídeos desenvolvidos com o auxílio de uma equipe de neuropsicologia, psicólogos, bioquímicos e sociólogos.

A imersão no universo Star Wars é feita com 200 objetos originais dos sete filmes exibidos até agora e tirados dos arquivos de George Lucas.

Esses objetos também mostram a evolução dos personagens criados por Lucas, desde os primeiros rascunhos em papel até suas aparições nas telas de cinema.

Com base nos esboços, é possível ver que o mafioso Jabba the Hutt foi inicialmente imaginado com um corpo humanoide alto e magro, muito diferente do verme obeso que apareceu nos filmes.

Os rascunhos mostram o mestre Yoda como um anão com barba branca e Chewbacca como um macaco de orelhas pontiagudas e olhos esbugalhados.

Entre os objetos há trajes originais, como o de piloto que o ator Mark Hamill vestiu na cena em que Luke destrói a Estrela da Morte, a túnica escura que simbolizava a ida de Anakin para o lado negro no episódio III e o imponente traje de Darth Vader no episódio VI.

O Podracer de corridas original de Anakin, capacetes de stormtroopers, modelos de naves usados na filmagem, droides, exemplares de C-3PO, R2-D2 e inclusive do BB-8, novo robô em formato circular que aparece em "O Despertar da Força".

No fim da exposição, o visitante se depara com o Imperador Palpatine e chega o momento de decidir se sucumbirá ao lado negro ou continuará o caminho dos cavaleiros Jedi.

Com o caminho percorrido, a última sala da exposição permite baixar todas as características registradas na pulseira e ver em uma tela o personagem criado, e inclusive enviá-lo por e-mail, com sua biografia e características.