Carreira
Acompanhe:

Veja as profissões que lideram o número de MEIs no Brasil

Ramo de beleza é o que lidera o ranking das 10 profissões formalizadas. São cerca 824 mil registros, representando 7,7% dos MEIs no país

Cabeleireiro: são cerca de 824 mil registros entre cabeleireiros, pedicures e manicures (Chris McGrath / Equipe/Getty Images)

Cabeleireiro: são cerca de 824 mil registros entre cabeleireiros, pedicures e manicures (Chris McGrath / Equipe/Getty Images)

V
Victor Sena

21 de novembro de 2020, 15h12

Com o desemprego em alta durante a crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, o número de pessoas formalizadas como microempreendedores individuais (MEI) disparou no Brasil. Em agosto, o país teve recorde na taxa de desemprego, com 13,8 milhões sem trabalho.

Quer trabalhar na área de tecnologia? Aprenda data science e python do zero. Comece agora!

Entre março e setembro, foram registrados 985.891 novos cadastros de microempreendedor. Hoje, são mais de 11 milhões no Brasil.

O ramo de beleza é o que lidera o ranking das 10 profissões formalizadas. São cerca de 824 mil registros entre cabeleireiros, pedicures e manicures, representando 7,4% dos MEIs no país.

Já os profissionais autônomos, que vendem roupas, estão em segundo lugar, representando 7,4% com um total de 814 mil registros profissionais como microempreendedores.

O cadastro como microempreendedor é uma forma de formalização do trabalhador autônomo. Em 2019, antes da pandemia, a informalidade bateu recorde no Brasil.

Veja o ranking

1º: Profissionais da área de beleza (7,4% dos registros)

2º: Comércio varejista de roupas e acessórios (7,3% dos registros)

3º: Profissionais de Obras de alvenaria (4,4% dos registros)

4º: Promoção de vendas (3,5% dos registros)

5º: Lanchonetes, casas de chá, sucos e similares (2,8% dos registros)

6º: Fornecimento de alimentos preponderantemente para consumo domiciliar (2,7% dos registros)

7º: Mini Mercados, armazéns ou mercearias (2,3% dos registros)

8º: Atividades de estética e cuidados com a beleza (2,1% dos registros)

9º: Instalação e manutenção elétrica (1,8% dos registros)

10º: Serviços ambulantes de alimentação (1,8% dos registros)