• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Como criar limites e deixar de trabalhar tanto tempo a mais no home office

Pesquisa mostra que a carga de trabalho aumentou 48,5 minutos na pandemia. Como se organizar em casa e abordar a chefia sobre o excesso de trabalho?
Home office: (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Home office: (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Por Victor SenaPublicado em 16/11/2020 14:51 | Última atualização em 16/11/2020 16:21Tempo de Leitura: 5 min de leitura

No Brasil, cerca de 10% da população empregada mantém-se em trabalho remoto de acordo com o IBGE, mesmo que a pandemia do novo coronavírus tenha dado sinais de queda no país.

Mas a falta de fronteiras entre a vida pessoal e o trabalho tem levado essas pessoas a trabalharem mais. Uma pesquisa da Harvard Business School com 3,1 milhões de pessoas mostrou que a carga de trabalho aumentou 48,5 minutos. O estudo também apontou que aumento no número de e-mails trocados e de tempo em reuniões

A opinião do brasileiro sobre o home office também ficou menos otimista ao longo da pandemia. Um levantamento de comentários em redes sociais feito pela Orbit Data Science mostra como isso mudou: em janeiro, quando o isolamento social ainda não havia sido implantado no Brasil, cerca de 70% das pessoas elogiam a prática. Entre abril e junho, a aprovação chegou a 45%.

Especialistas em carreira ouvidos pela EXAME ressaltam que planejar o dia, exercitar o foco para cumprir as metas de entrega e ter diálogo com a chefia, no caso de exageros, são o caminho para que o home office não vire problema, em vez de solução.

Disciplina para garantir foco

Para os especialistas em carreira ouvidos pela Exame, o foco é um dos principais desafios de quem se mantém em home office, e a sua falta está por trás de uma eventual baixa produtividade. E isso pode atrapalhar na definição dos limites.

A pesquisa da Harvard Business School mostra que muitas vezes as pessoas trabalham horas a mais para compensar momento de distração, ou que tiveram interrompidos durante o dia.

Susanne Andrade, coach e autora de livros sobre carreira, destaca que colocar limites para evitar ser interrompido pela família é fundamental. Esses limites também são importantes para garantir saúde mental.

“A pessoa tem que ter disciplina para entrar no horário que gostaria, mas também para ter espaço para a vida pessoal. Se não, a pessoa começa a negligenciar seu lado pessoal”. “Assim como no trabalho muita gente tem foto da família, e coisa do tipo, no home office tem que fazer o contrário. É importante o profissional se olhar se algum aumento de produtividade é sustentável, ou se ele está se acabando agora com medo de alguma demissão. Para isso, ele precisa ter esses cuidados."

O foco é importante para a definição dos limites porque uma razão que também foi apontada pela Harvard Business School como motivo pelo qual as pessoas trabalham horas mais são as distrações, interrupções e pausas durante o dia.

Conheça seu ritmo

Para trabalhar melhor (o que não significa trabalhar mais), Susanne Andrade e a coach e consultora em gestão organizacional Lucedile Antunes também destacaram o conhecimento sobre o próprio corpo.

Assim, a produtividade é melhor e a brecha para distrações, e o trabalho se acumular até tarde da noite, cai.

“É importante a pessoa se conhecer, para entender o ritmo de cada um. Para quem tinha o hábito de ir para o trabalho, é importante a pessoa criar um ritual parecido, em que ela tome banho e troque de roupa e isso sirva de gatilho de que ela começou a trabalhar, criar um espaço para trabalhar”, defende Susanne.

Lucedile Antunes também acredita que cuidar da autoestima, se arrumando para trabalhar, garante mais produtividade.

Além disso, definir o horário em que o trabalho começa e o horário em que ele termina reforça essa questão de encarar o home office como o trabalho normal.

“O trabalho de home office requer essa capacidade de identificar qual momento do dia seu corpo funciona melhor. E isso vai ajudar a pessoa a colocar trabalhos que precisam de mais foco no momento em que vai ter menos interrupções.”

Planejamento

Além de criar estratégia para manter o foco, que está diretamente ligado ao conhecimento sobre o ritmo do próprio corpo, é importante ter organização.

Ao focar em metas “entregáveis”, o colaborar pode conseguir reforçar os limites e as fronteiras de até que horário vai trabalhar.

Lucedile Antunes aposta que, ao mostrar seu planejamento para a chefia, também é possível garantir uma boa impressão, além disso ser fundamental para explicar como gostaria que seu trabalho fosse acompanhado ao longo do dia.

Posicione-se com a chefia

Susanne Andrade defende a responsabilização por si mesmo como um comportamento que os colaboradores precisam desenvolver. Em vez de esperar que o líder ou a empresa aja, tomar a iniciativa de comunicar seus problemas.

Para mostrar para a chefia que está descontente com exageros na quantidade de trabalho, mensagens fora do horário, é importante dar feedback.

“É papel do líder fazer o acompanhamento da equipe, mas o profissional não pode ficar esperando. Ele tem que dizer os horários em que ele não conseguirá dar a atenção ao trabalho. Então tem que fazer com negociação, reflexão e auto responsabilidade.”

Lucedile Antunes reforça que é preciso fazer isso com estratégia.

“A conversa deve ser franca, de alinhamento, mas com estratégia. Para alinhar as expectativas, a agenda durante o dia e conciliar as dinâmicas. Tudo isso sendo negociado e combinado. O problema é que muitos colaboradores têm medo. Mas se não tiver essa conversa, a vida dele vira um inferno. Ele mantém o emprego, mas perde o casamento. Não tem fórmula mágica”

Para Marcelo Arone, especialista em recolocação executiva, a definição dos limites também é papel da liderança e do setor de Recursos Humanos.

“O líder que se formou nessa pandemia é de um perfil que saiba delegar, de acordo com a entrega de cada funcionário. O tipo de cobrança e demanda tem que ser de acordo com as particularidades de cada um. A cultura corporativa vai ter que adaptar as políticas de Home Office. RH e líderes têm que estipular alguns limites, e deixar claro que devem ser respeitados, salvo em caso de exceções.”