Bússola
Um conteúdo Bússola

TRENDS: Quer lançar um produto ou serviço em 2023?

Cinco pontos cruciais para criar sua estratégia

Não se pode esquecer da estratégia de marketing! (Morsa Images/Getty Images)

Não se pode esquecer da estratégia de marketing! (Morsa Images/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 17 de fevereiro de 2023 às 08h44.

Investir em um novo projeto não é tarefa fácil. Depois do esforço da criação e execução, o lançamento certamente é o que vai garantir o sucesso da empreitada. Parece óbvio? Mas não é!

O foco de quem quer lançar um produto ou serviço, na maioria das vezes, fica na realização do projeto. A estratégia de marketing fica em segundo plano e ela deve fazer parte de todo o processo.

Ao pensar em empreender, não dá para deixar de lado, ou para depois, um projeto estratégico de marketing. Existem inúmeras ferramentas que ajudam nessa missão, e não se trata de orçamento alto ou não, mas de um planejamento que contemple esses 5 pontos cruciais: 1. Pesquisa de mercado

Para ser bem-sucedido em uma campanha de lançamento, o primeiro passo é definir o público, pesquisar o mercado e criar uma proposta de valor. A pesquisa deve contemplar o comportamento do consumidor; concorrência; abordagem de marketing usada pelos concorrentes; tamanho, tendências e condições do mercado, a fim de entender hábitos, interesses, conhecer dados demográficos, perfis, possíveis problemas e a melhor forma de conexão. Isso consome tempo e dinheiro para atrair clientes fieis, mas sem uma boa definição do plano, é fácil desperdiçar orçamento e não obter resultados. 2. Orçamento

Alocar recursos de maneira eficaz exige especificar o orçamento de acordo com um plano muito bem executado que deve, inclusive, calcular a entrega para atender à demanda.

Todos os objetivos necessitam ser mensurados para que seja possível acompanhar o progresso das ações e, se for necessário, mudar um pouco a rota. Adaptar estratégias é premissa obrigatória nesse mundo contemporâneo. Variáveis existem e exigem atenção constante.

Estimar gastos com precisão é importante, assim como realocá-los. Planos de marketing devem ser transformados em números justamente para que possam ser medidos.

Desempenho e eficácia podem sempre ser monitorados e ajustes, vez ou outra, serão necessários, ainda mais quando falamos em entender quais canais têm mais engajamento. 3. Monitoramento de dados

Há alguns anos, a eficácia de um lançamento de campanha não contava com métricas online.

Nos dias atuais, com as tantas ferramentas disponíveis, é imprescindível usá-las porque são elas que redefinem qualquer trajetória mal traçada.

É claro que dados qualitativos, como respostas emocionais, não vêem com algoritmos e eles são muito importantes, mas os dados gerados a partir de números como resultados de pesquisas, números de seguidores, assinaturas, cadastros, formulários de contato, Analytics, automação, integração, CRM, gerenciamento de mídias sociais e de conteúdo, são indispensáveis para qualquer mapeamento de trajetória e observação de resultados.

Essa análise baseada em dados traz informações valiosas para as marcas e deve ser utilizada para a tomada de decisões até sobre o desenvolvimento do produto ou serviço. 4. Foco no cliente

Depois de entender quem é seu público, aquela antiga abordagem dos ‘Quatro P’s’ pode ser descartada. Se antes o preço, produto, praça e promoção eram as chaves para atingir os objetivos de um lançamento, já sabemos que, na realidade, a experiência do cliente é o que conta mais.

É fundamental desenvolver uma rede de suporte orgânico que aproveite os relacionamentos autênticos.

O convite ao envolvimento do cliente com a marca é um desafio e tanto e tem consequências diretas no sucesso de qualquer empreendimento.

Quando se entende um problema, é possível criar uma solução.

Você só entenderá necessidades e problemas se desenvolver um relacionamento íntimo com seus clientes.

Um exemplo atual disso é a ação do Tinder no Carnaval. A plataforma lançou a campanha ‘Nenhum Match Perdido’ que tem como ponto de partida ajudar as pessoas a se conectarem no evento.

Podemos tirar algumas lições disso. A marca entendeu que esse é o primeiro Carnaval pós pandemia. As pessoas estarão nas ruas, nos blocos, na avenida, nas festas, conectadas de maneira presencial.

Tinder é um aplicativo de namoro que conecta as pessoas inicialmente de modo online. Simplificando, seria óbvio que as pessoas o descartassem nessa época de encontros reais, mas ao invés dele se eximir, lançou mão da ferramenta incitando a usá-la para ajudar as pessoas a se conectarem ainda mais.

É um caso típico de entender o cliente, se aliar e oferecer soluções para ele se engajar ainda mais com a rede social.

Se a ação será positiva, ainda não sabemos, mas promove novidades. 5. Atenção às mudanças e tendências

Por fim, é preciso estar atento e forte. Tudo muda muito rápido. As transformações tecnológicas ocorrem de forma tão veloz, que são difíceis de acompanhá-las.

Mas é primordial acompanhar as tendências e adaptar estratégias. Observação e atenção nunca é demais para se manter nesse universo de lançamentos onde o ritmo é alucinante.

*Alexandre Loures e Flávio Castro são sócios do Grupo FSB

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Trends: Artifact é o novo aplicativo dos fundadores do Instagram

5 tendências para transformar a experiência do cliente

Apenas um a cada quatro jovens da geração Z se declara fiel a uma marca

Acompanhe tudo sobre:ComunicaçãoEstratégiamarketing-digitalVarejo

Mais de Bússola

Gestão Sustentável: um mercado de US$ 53 trilhões precisa se provar?

Como a ICONIC, que opera Ipiranga e Texaco Lubrificantes, planeja reduzir 43% das emissões até 2030

Mariana Plum: como a crise no Rio Grande do Sul impõe a necessidade de integrar Defesa e clima

Gente & Gestão: o acaso não é por acaso!

Mais na Exame