Um conteúdo Bússola

São Paulo ganha grafite gigante para refletir sobre a mobilidade

Uma segunda obra deve reunir 15 artistas para intervenção em uma escola pública da zona leste da capital
Detalhe da obra de Mari Mats, na Rua Rocha (Reprodução/Reprodução)
Detalhe da obra de Mari Mats, na Rua Rocha (Reprodução/Reprodução)
B
Bússola

Publicado em 30/06/2022 às 11:30.

Última atualização em 30/06/2022 às 11:42.

Dois novos grafites devem colorir a paisagem urbana de São Paulo a partir de agora. O primeiro é uma empena — como são chamadas as laterais dos edifícios —, localizada na Rua Rocha, próxima à Praça 14 Bis, na Bela Vista, tradicional bairro da capital paulista.

Com vista também a partir do viaduto da Avenida 9 de Julho, a obra foi criada pela artista Mari Mats. “Os meus personagens nessa obra representam os usuários e o mundo que eles habitam, e foram inseridos no universo da mobilidade por meio de uma viagem pelos carros, cones, estradas e faróis”, declara Mari.

A referência ao tema da mobilidade veio de um desafio proposto pela Veloe, marca especializada em meios de pagamento para mobilidade e soluções para gestão de frota, que apoiou os dois projetos.

A segunda obra é a participação no “Graffitti School”, projeto de intervenção artística em escolas públicas de São Paulo criado pelo artista Pack Toledo. A instituição de ensino escolhida foi a EMEF Amadeu Amaral, na zona leste da cidade. Para a obra, foram escolhidos 15 artistas urbanos, como Chivitz, Sotaq, Jae Alves e Paulo Flecha. Após a finalização da pintura, os artistas farão oficinas educativas de arte com os alunos.

“Os grafites já são uma expressão da nossa marca. Quando fizemos a nossa primeira intervenção artística, notamos que mais que tornar o caminho do paulistano mais leve e colorido, o entorno também se transformou, impactando positivamente a comunidade local”, afirma Vanessa Rissi, superintendente de marketing e analytics da Veloe.

“Associamos a arte com a educação para essa edição. A transformação da mobilidade passa pela transformação e desenvolvimento da sociedade, que só conseguiremos com educação e cultura”, afirma Vanessa.

Todas as latas de tintas utilizadas serão doadas para o Centro Prolata de reciclagem de embalagens metálicas, programa que estimula a reciclagem de latas de aço no país, assim como aconteceu na primeira intervenção artística que a marca liderou em 2019. Na ocasião anterior, outros dois artistas da Dionísio. Ag, Pardal e Pomb, grafitaram obras exclusivas na Avenida Rio Branco e na Rua Consolação

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

100 anos da semana de arte moderna e a regulamentação de direitos autorais

Carola Matarazzo: Elevar a confiança na filantropia para mudar o país

Riachuelo adota carros elétricos para entregas da Grande São Paulo