Acompanhe:

O mercado de criptomoedas é uma realidade. Mas será que é para todos?

Um dos principais fatores de popularização do investimento em cripto no mercado brasileiro será a simplificação das negociações

Modo escuro

Continua após a publicidade
Apenas 26% dos investidores em criptoativos têm formação em finanças (Jirapong Manustrong/Getty Images)

Apenas 26% dos investidores em criptoativos têm formação em finanças (Jirapong Manustrong/Getty Images)

B
Bússola

Publicado em 5 de maio de 2022 às, 11h30.

Por Roberto Cardassi*

Um estudo feito pela Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (EESP/FGV) revelou que o número de investidores brasileiros em criptomoedas dobrou entre 2020 e 2021. Porém, apesar da popularização, ainda há alguns entraves presentes no setor para novos investidores, como a complexidade e a volatilidade do tema. De acordo com outro estudo, da The Economist Intelligence Unit, a falta de conhecimento é justamente a principal barreira para a adoção dessas moedas digitais.

Nesse sentido, a ferramenta de orderbook, ou ordem de vendas, é uma das principais travas no cenário de ativos, motivo que tem feito diversas empresas do segmento reverem a maneira de oferecer serviços de negociação de criptomoedas com esse sistema.

Conhecido também como livro de ofertas, o orderbook é um modelo muito utilizado por corretoras do mercado tradicional para compra e venda de ações, e que foi assumido como principal ferramenta de negociação de criptomoedas pelas exchanges centralizadas que oferecem essa intermediação entre compradores e vendedores de cripto ativos.

Nesse modelo há a necessidade do orderbook ser acompanhado junto com o histórico de negócios, pois são ambientes importantes para o deslocamento de preços dos ativos. Além disso, é necessário que o investidor entenda os tipos de ordens de mercado, para conseguir realizar operações de acordo com o seu objetivo, como a Ordem Limitada, a Ordem Stop e a Ordem A Mercado, por exemplo.

Sendo assim, a principal dificuldade do livro de ofertas é a sua leitura, especialmente para quem não tem familiaridade com esse ambiente. Vamos esclarecer com um exemplo: existem ativos que possuem alta liquidez. Dependendo do volume deles, é possível realizar negociações em um preço justo, mas existem também exchanges e ativos com baixa liquidez. Nessas situações, a depender da execução da ordem, o investidor poderá comprar ou vender o ativo com deságio (quando o valor dele está abaixo do preço nominal). Portanto, o conhecimento prévio do assunto é fundamental, o que pode se tornar um grande bloqueio para um primeiro contato com o mercado de ativos digitais.

Ao longo dos anos, outro modelo de negócios veio ganhando relevância e hoje o denominamos como Exchanges Descentralizadas (DEX). Nesse ambiente não temos o sistema de orderbook, todavia também não é possível realizar depósitos em moeda fiduciária, fazendo com que o cliente tenha a necessidade de plugar a Exchange a uma wallet (carteira digital) com criptomoedas para que possa então realizar conversões entre moedas digitais, exigindo do usuário certo conhecimento específico de tecnologia e mercado cripto.

Novos modelos de negociação

Segundo o mesmo estudo da EESP/FGV, apenas 26% dos investidores em criptoativos têm formação em finanças. Essa é uma prova contundente que o segmento precisa de mais acessibilidade para pessoas que não estão completamente inseridas no meio. Interpretar gráficos deve ser menos valorizado em um primeiro momento do que a aposta em modelos de negociação mais simples, para que o acesso à nova economia seja feito de forma segura, efetiva e descomplicada.

Uma das maneiras de seguir essa estratégia sem o orderbook ou a integração de wallets, é quando uma empresa faz a intermediação de ordens entre o interesse de compra ou venda do cliente e a contraparte, gerando a efetivação das operações a um preço justo. Esses players estão surgindo mais recentemente no mercado e são denominados como Brokers. Esse modelo de negócio dispensa o que ocorre em algumas exchanges com baixa liquidez, fazendo com que seus clientes realizem ordens com deságios de mercado. A possibilidade de transacionar múltiplos ativos em uma única conta digital e oferecer suporte aos clientes com estratégias adequadas a cada perfil também são boas opções para atrair investidores.

É evidente que o mercado de cripto é uma realidade. Mas é uma realidade para todos? Bem, pode-se dizer que do lado das empresas, aquelas que recorrem ao orderbook e optam por serviços tradicionais existe um movimento de disseminação desse segmento. Já as companhias e startups que apostam em modelos de negociação mais simples, que familiarizam o investidor com o meio, estão efetivamente democratizando o acesso dos ativos digitais para todos os públicos.

*Roberto Cardassi é CEO da BlueBenx, aplicativo multi financeiro que possui a primeira exchange brasileira conectada à uma conta digital nativa

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Bitcoin atualmente é ativo de risco ou investimento independente. Descubra

Web 3.0 e a revolução tecnológica que está por vir

Como serão formados os profissionais para o mundo cripto?

Últimas Notícias

Ver mais
Nem tudo é otimismo: especialistas questionam impacto do halving no preço do bitcoin
Future of Money

Nem tudo é otimismo: especialistas questionam impacto do halving no preço do bitcoin

Há 11 horas

Bitcoin terá "evento do ano": especialistas veem halving com otimismo e projetam disparada de preço
Future of Money

Bitcoin terá "evento do ano": especialistas veem halving com otimismo e projetam disparada de preço

Há 11 horas

Brasil vai colher frutos por liderar regulação de cripto na América Latina, diz executiva da Ripple
Future of Money

Brasil vai colher frutos por liderar regulação de cripto na América Latina, diz executiva da Ripple

Há 12 horas

Mineração de bitcoin atinge maior dificuldade da história antes do halving
Future of Money

Mineração de bitcoin atinge maior dificuldade da história antes do halving

Há 13 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais