Aumento da taxa de juros nos EUA faz criptos subirem e anima investidores

A fim de controlar a inflação recorde no país, medidas do banco central norte-americano geram otimismo no mercado de criptomoedas
Taxa de juros subiu meio ponto percentual nos EUA, mas pode subir ainda mais (./Bloomberg)
Taxa de juros subiu meio ponto percentual nos EUA, mas pode subir ainda mais (./Bloomberg)
Por Mariana Maria SilvaPublicado em 05/05/2022 11:44 | Última atualização em 05/05/2022 12:05Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Após ter disparado em meio a notícias sobre o aumento da taxa de juros nos Estados Unidos, as criptomoedas deram sinais otimistas antes de recuar novamente de preço nesta quinta-feira, 5. Movimentando quase R$ 500 bilhões nas últimas 24 horas, o mercado cripto mantém capitalização de US$ 1,83 trilhão, de acordo com dados do CoinGecko.

Nos Estados Unidos, as taxas de juros estão subindo meio ponto percentual, o que configura o maior aumento desde 2000. Quando o banco central norte-americano aumenta as taxas de juros, isso também aumenta o custo para as instituições financeiras pegarem empréstimos, causando um efeito dominó que vai até as taxas de cartão de crédito dos consumidores comuns. A intenção de medidas como esta é desacelerar ou reverter a inflação, tornando o dinheiro mais caro.

“A inflação está muito alta”, disse o presidente do Fed, Jerome Powell, durante uma entrevista coletiva após a divulgação do comunicado na última quarta-feira, 4. “A redução da inflação é essencial se quisermos ter um período de fortes condições do mercado de trabalho que beneficiem a todos”, concluiu.

Tais medidas já eram esperadas por investidores em todo o mundo, embora muitos tenham considerado a possibilidade de um aumento ainda maior. A quebra de expectativas pode ter gerado a pressão compradora observada nos ativos digitais na última quarta-feira, 4. No entanto, o momento é de recuo no preço das principais criptomoedas, que apresentam quedas.

O bitcoin, a principal criptomoeda, disparou de US$ 38.766 para US$ 39.902 em menos de uma hora após o anúncio do banco central norte-americano. Desde então, a moeda recuou para US$ 38.270, com queda 1,5% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinGecko.

O ether, criptomoeda nativa da rede Ethereum, apresenta movimento similar, dadas as devidas proporções. Após disparar, a segunda maior criptomoeda do mundo em valor de mercado recuou para US$ 2.835, com queda de 0,2%.

(Mynt/Divulgação)

Apesar do breve momento de animação entre os investidores, as criptomoedas agora se alinham aos mercados tradicionais. Os índices S&P500 e Dow Jones Industrial Average apresentam queda de 1,75% e 1,40%, respectivamente, nesta quinta-feira, 5. Focado em ações de empresas de tecnologia, o Nasdaq Composite apresenta quedas ainda maiores, de 2,80%, de acordo com o Yahoo Finance.

Novos aumentos na taxa de juros são esperados para 2022, ano em que a inflação bate recordes nos Estados Unidos. Apesar da possibilidade de tais medidas causarem fugas dos ativos de risco, investidores podem levar o bitcoin em consideração na hora de se proteger contra a inflação. A moeda é considerada por muitos especialistas como o “ouro digital”.

No ranking das 20 maiores criptomoedas em valor de mercado, TRON lidera os ganhos nesta quinta-feira, 5, com alta de 9,31%, de acordo com dados do CoinMarketCap.

A criptomoeda mais lucrativa do dia é a ZIL, da rede Zilliqa, com alta de 15,54%, segundo dados do CoinMarketCap. Criada por um professor da Universidade Nacional de Computação de Singapura, a rede é focada em escalabilidade e no processamento de uma grande quantidade de transações por segundo.

Outras moedas também se destacam por seus lucros, como a ANC, do protocolo Anchor, e o AXS, do jogo play-to-earn Axie Infinity, que apresentam altas de 14,03% e 7,31%, respectivamente, de acordo com o CoinMarketCap.

O analista da Quantzed Criptos, Felipe Medeiros, aponta o preço do bitcoin como fator decisivo para a alta de outras criptomoedas neste momento. “Se nos próximos dias o bitcoin se mantiver acima dos US$ 37 mil, poderemos ver várias criptomoedas com própria narrativa ensaiar um rally de alta. Uma delas é a fantom, que chegou a registrar queda de 40% durante essa semana, quando alguns players de juntaram para liquidar um grande investidor com posição de US$ 50 milhões alavancada em um protocolo DeFi na rede. O acontecimento deu uma boa oportunidade de compra pensando em uma recuperação já no curto prazo”, comentou.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok