Acompanhe:

Danilo Maeda: Sem governança, estratégia ESG vira lista de tarefas com pouco valor

Com a nova versão do Código das Melhores Práticas, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, ressurgem questões relacionadas ao G de ESG

Modo escuro

Continua após a publicidade
Governança corporativa é chave para o sucesso das estratégias, e não pode ser esquecida (Stock Xchng/Reprodução)

Governança corporativa é chave para o sucesso das estratégias, e não pode ser esquecida (Stock Xchng/Reprodução)

O IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa) lançou recentemente a sexta edição do Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa. O documento é resultado de um longo processo de revisão e traz mudanças consideráveis em relação à versão anterior, de 2015. Sua relevância está no fato de ser basicamente uma “bíblia” da governança brasileira, com recomendações e diretrizes seguidas à risca (ou por vezes nem tanto) pelas pessoas que tomam decisões nas principais empresas do País.

Outro fator relevante para o tema da governança é que sem boas práticas desse tipo, as estratégias ESG podem tornar-se metas listas de tarefas sem valor estratégico real para a empresa e suas partes interessadas, com potencial elevado de minguarem ao longo do tempo. É fundamental estabelecer mecanismos que façam a gestão contínua da e para a sustentabilidade, trazendo a preocupação com o longo prazo para as decisões cotidianas.

Governança é sustentabilidade

Entre as mudanças, destaca-se o próprio conceito-base do manual. No novo texto, o IBGC continua a definir governança corporativa como um “sistema formado por princípios, regras, estruturas e processos pelo qual as organizações são dirigidas e monitoradas”, mas adiciona que o objetivo deste sistema é a “geração de valor sustentável para a organização, para seus sócios e para a sociedade em geral”. Não é por acaso que a segunda parte da definição se parece bastante com o que chamamos em sustentabilidade de criação de valor compartilhado. 

Além disso, a nova definição trata da “busca pelo equilíbrio entre os interesses de todas as partes, contribuindo positivamente para a sociedade e para o meio ambiente”, o que reforça o papel central do engajamento de stakeholders não só nas estratégias ESG mas nos próprios mecanismos de funcionamento das organizações. Segundo o próprio IBGC, “A governança corporativa evoluiu significativamente nos últimos anos, expandindo seu foco da otimização de valor econômico exclusivamente aos sócios para o objetivo de geração de valor compartilhado entre os sócios e as demais partes interessadas. Essa perspectiva contemporânea reconhece a interdependência entre as organizações e as realidades econômica, social e ambiental em que elas estão inseridas.”

Princípios devem guiar decisões e práticas

As recomendações específicas merecem ser lidas com atenção por quem deseja implantar ou melhorar as práticas de governança e desta maneira perenizar sua organização. Neste momento, quero me ater aos “princípios da governança corporativa”, que resumem bem as ideias principais e devem se aplicar a qualquer tipo de organização, independentemente de porte, natureza jurídica ou estrutura de capital. 

  1. Integridade, que foca na promoção da cultura ética, coerência entre discurso e prática e prevenção contra conflitos de interesse;
  2. Transparência, que demanda disponibilizar, para as partes interessadas, informações “verdadeiras, tempestivas, coerentes, claras e relevantes, sejam elas positivas ou negativas, e não apenas aquelas exigidas por leis ou regulamentos”. Mais um motivo para ter um bom relatório de sustentabilidade.
  3. Equidade, que aborda o tratamento de sócios e partes interessadas de maneira justa, levando em consideração seus direitos, deveres, necessidades, interesses, expectativas e até diferenças, promovendo ajustes conforme as relações e demandas de cada stakeholder.
  4. Responsabilização (accountability), que trata de “desempenhar suas funções com diligência, independência e com vistas à geração de valor sustentável no longo prazo, assumindo a responsabilidade pelas consequências de seus atos e omissões”.
  5. Sustentabilidade, que em linha com as melhores definições do tema, demanda “zelar pela viabilidade econômico-financeira da organização, reduzir as externalidades negativas de seus negócios e operações, e aumentar as positivas, levando em consideração, no seu modelo de negócios, os diversos capitais (financeiro, manufaturado, intelectual, humano, social, natural, reputacional) no curto, médio e longo prazos”.

A boa governança é caminho para negócios mais sustentáveis em diversos sentidos. Por permitir que estejam preparados para o longo prazo, a partir de um senso de propósito e de entrega de valor para todas as partes envolvidas com a organização, ao ser o começo das estratégias ESG,  ao envolver a alta gestão no tema (inclusive com os comitês temáticos de ESG e sustentabilidade) e conectar de forma estratégica o longo prazo com o tempo presente. Afinal, o futuro – bom ou ruim –  se faz agora.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

PLAY: Arnold Schwarzenegger ensina com 4 acertos e alguns erros

Cristiano Zanetta: potencialize o desempenho da sua equipe com lições do DISC e das Tartarugas Ninja

A análise de dados como aliada do setor de saúde

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Como startup que automatiza rotina fiscal de empresas projeta faturar mais de R$ 28 milhões em 2024
Bússola

Como startup que automatiza rotina fiscal de empresas projeta faturar mais de R$ 28 milhões em 2024

Há 3 horas

Bússola Cultural: encontro literário com Tiago Nhandewa, escritor e pesquisador indígena
Bússola

Bússola Cultural: encontro literário com Tiago Nhandewa, escritor e pesquisador indígena

Há 6 horas

Por que podemos estar diante de uma mudança no mercado de empresas de benefícios a funcionários
Bússola

Por que podemos estar diante de uma mudança no mercado de empresas de benefícios a funcionários

Há 9 horas

Quais foram as 10 séries mais vistas de 2023?
Bússola

Quais foram as 10 séries mais vistas de 2023?

Há 22 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais