Bússola
Um conteúdo Bússola

Como a inteligência artificial pode revolucionar a educação no Brasil

Em artigo, especialistas explicam como é crucial capacitar educadores para usar a IA de maneira eficaz

A educação suportada por IA é crucial para o desenvolvimento sustentável (demaerre/Getty Images)

A educação suportada por IA é crucial para o desenvolvimento sustentável (demaerre/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 5 de junho de 2024 às 13h00.

Por Hilário Nogueira e Moacir Filho*

Nos últimos anos, a inteligência artificial (IA) tem emergido como uma força transformadora em diversas indústrias, incluindo a educação, reformulando a maneira como vivemos e trabalhamos. 

O Fórum Econômico Mundial prevê que mais de 75% das empresas vão utilizar a IA em seus negócios nos próximos cinco anos, entre elas players de educação. Isso pode trazer grande impacto na área. 

A IA promete personalizar o aprendizado, tornar o ensino mais eficiente e acessível, e redefinir as fronteiras tradicionais da sala de aula no Brasil.

Como a inteligência artificial pode ser utilizada na educação?

A aplicação de IA na educação abrange uma variedade de tecnologias que melhoram os processos de aprendizagem e gestão educacional. Seu papel vai além da automação de tarefas administrativas, estendendo-se à transformação das práticas pedagógicas. 

Por exemplo, sistemas de tutoria inteligente adaptam o material didático às necessidades de cada aluno, enquanto chatbots educacionais operam 24 horas por dia para responder a perguntas e auxiliar com dúvidas. 

Plataformas de aprendizado adaptativo ajustam o tipo e o nível de dificuldade das tarefas conforme progressão do aluno, e a IA também contribui para a tradução e acessibilidade, oferecendo recursos como tradução automática e geração de legendas em tempo real.

Vantagens da automatização

A IA está transformando as práticas pedagógicas ao automatizar tarefas administrativas, liberando os professores para se concentrarem mais no ensino. 

A McKinsey constatou que entre 20% e 40% das horas dos professores são gastas em atividades que poderiam ser automatizadas. Com a expansão da alfabetização digital, o Brasil avança ao discutir leis para garantir educação online para todos, introduzindo o ensino de computação e robótica em todas as escolas.

Desafios da implementação

Entre os desafios está a necessidade de diretrizes éticas para prevenir o mau uso da IA. A UNESCO desenvolve estratégias para garantir um caminho digital seguro, com ênfase na capacitação dos professores para lidar com essas tecnologias. 

Um exemplo é o Programa Edtech Brasil – Inteligência Artificial que atende mais de 70 mil alunos e professores da rede pública, dirigido a alunos do Ensino Fundamental II e Médio, introduzindo conceitos de IA como: visão computacional, redes neurais e aprendizado de máquina

Alunos desenvolvem um sistema de segurança inovador que reconhece rostos e verifica o uso de EPIs, reforçando habilidades como resolução de problemas, pensamento crítico e colaboração.

  • Nos Estados Unidos, programas como o AI4ALL têm expandido o acesso à educação em IA para estudantes de minorias, promovendo a diversidade no campo da tecnologia. 
  • Já na Coreia do Sul, o governo implementou programas de IA nas escolas que visam desenvolver habilidades essenciais para a Quarta Revolução Industrial. 
  • Na China, iniciativas como o projeto de Educação Inteligente, liderado pelo governo, usam a IA para criar ambientes de aprendizagem personalizados e altamente eficientes. 

Esses exemplos internacionais ilustram como investimentos em IA na educação podem fortalecer a competitividade aqui no Brasil, posicionando esses países na vanguarda da inovação tecnológica e fortalecendo suas economias.

Capacitar educadores para usar a IA de maneira eficaz é crucial. Desenvolver uma mentalidade crítica em relação à tecnologia permite que a IA contribua com a prática pedagógica, enriquecendo as experiências de aprendizagem sem substituir o docente. 

É fundamental garantir que a implementação da IA na educação seja realizada de maneira que respeite os valores éticos, promova a equidade e fomente a inclusão.

Ao explorar esta tecnologia, é essencial fazê-lo de forma responsável, assegurando que todos os alunos se beneficiem sem comprometer sua privacidade ou bem-estar. A educação suportada por IA é crucial para o desenvolvimento sustentável e a competitividade nacional no longo prazo.

*Hilário Nogueira é diretor de Tecnologia Educacional, 

*Moacir Filho é fundador da Sùdù, empresa especializada na comercialização de inovações pedagógicas e tecnologias educacionais para o setor público

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificial

Mais de Bússola

Bússola Poder: não existe ministro da Fazenda fraco

Por que texto do Projeto de Lei que regulamenta a Inteligência Artificial precisa de ajustes? 

FII Priority Summit discute desenvolvimento sustentável do Brasil e da América Latina

Internet e redes sociais continuam a dominar como principais fontes de informação dos parlamentares

Mais na Exame