Bússola
Um conteúdo Bússola

Como a IA impacta o futuro das profissões e conselhos administrativos

Nova inteligência artificial ChatGPT, atingiu 100 milhões de usuários em apenas dois meses

Nova inteligência artificial ChatGPT, atingiu 100 milhões de usuários em apenas dois meses (Yuichiro Chino/Getty Images)

Nova inteligência artificial ChatGPT, atingiu 100 milhões de usuários em apenas dois meses (Yuichiro Chino/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 8 de março de 2023 às 20h15.

Estamos no momento em que a transformação é potencializada pela Inteligência Artificial (IA), com ferramentas como o ChatGPT na vanguarda desta renovação. Ultimamente temos acompanhado de forma assombrosa como o chatbot desenvolvido pela OpenAI é capaz de compreender perguntas e trazer informações complexas sobre diversos assuntos.

O sucesso da ferramenta é tamanho, que atingiu 100 milhões de usuários ativos em apenas dois meses após o lançamento. O TikTok, app para compartilhamento de vídeos curtos, por exemplo, chegou a esse volume de usuários em nove meses, enquanto que o Instagram demorou dois anos e meio.

Contudo, ao mesmo tempo em que a novidade ganha admiradores, também há aqueles com olhares mais desconfiados. Isso acontece porque há o impacto que a Inteligência Artificial e ferramentas como o ChatGPT estão trazendo aos negócios.

É possível que setores como o de marketing e publicidade coloque redatores humanos para tarefas mais criativas e personalizadas, principalmente por conta da capacidade que o chatbot tem de gerar conteúdo escrito de alta qualidade para campanhas. O mesmo pode ocorrer em áreas correlatas da comunicação como a de criação de conteúdo e o jornalismo.

Já no setor da saúde a ferramenta poderá ser utilizada para trazer informações médicas mais rápidas e assertivas aos pacientes, diminuindo algumas demandas básicas dos profissionais de saúde. Outro mercado que pode ser impactado é o financeiro, que terá a oportunidade de usar a tecnologia em áreas como a de banco de investimento para analisar dados e fornecer insumos para tomada de decisão.

No centro das discussões sobre o futuro das profissões estão os conselhos. Afinal, são os conselheiros que traçam um panorama dos negócios para oferecer informações e orientações aos tomadores de decisão. Em um cenário com evolução e impactos das inovações, é fundamental que o conselho de administração acompanhe essas transformações e se atualize para manter sua relevância.

Neste momento, o ideal é que a agenda estratégica de conselheiros inclua conhecimentos abrangentes sobre IA e seus impactos no mercado, com as considerações éticas que acompanham sua implementação. Neste sentido, os membros do conselho precisam estudar constantemente para ampliar suas habilidades e competências.

Assim, ele terá compreensão da governança e privacidade de dados, além de entender também as implicações legais da utilização de ferramentas de IA para tomar decisões informadas e avaliar os riscos e benefícios potenciais da adoção desta tecnologia. Outro ponto importante para os conselheiros é buscar uma maior diversidade no colegiado, que deve ser composto por membros de diferentes formações, incluindo especialistas em tecnologia e dados, o que pode trazer novas perspectivas e ideias para as discussões.

Em suma, já é significativo o impacto da IA em diversos setores e profissões e isso deve aumentar no futuro. Pensando mais a curto prazo, a tecnologia pode ajudar os membros do conselho, trazendo insights que informam suas decisões, porém é improvável que ela consiga suprir totalmente a experiência e o julgamento humanos fundamentais para governar uma organização com a eficiência necessária.

Importante notar que o objetivo da IA é auxiliar os humanos em suas atividades e não substituí-los. Segundo próprio chatGPT, quando indagado se poderia substituir os conselheiros em um board, ele afirmou que “os membros do conselho são responsáveis ​​por fornecer governança, supervisão e orientação a uma organização e devem ser capazes de entender os objetivos, a cultura e a estratégia da empresa. Eles também precisam ser capazes de identificar e gerenciar riscos e fornecer informações sobre decisões críticas que afetam o futuro da organização. Essas tarefas exigem um toque humano e uma perspectiva que a IA ainda não é capaz de replicar”.

*Claudia Elisa Soares é especialista em ESG e transformação de negócios e líderes e conselheira em companhias abertas e familiares\

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Ana Busch: Com o ChatGPT, você abraça o novo ou se afoga no passado

E-book apresenta ChatGPT para mercado de comunicação; faça download

Como o ChatGPT escreveu roteiro de filme que arrecadou mais de US$ 250 mi?

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialChatGPT

Mais de Bússola

Que tal morar em um home resort? Como funciona novo empreendimento de meio bilhão de reais no RJ

Cavaleiros olímpicos e campeões brasileiros são atrações do Concurso de Saltos Santo Antônio, no RJ

Gestão Sustentável: a matriz elétrica do Brasil e a complexidade do desenvolvimento sustentável

Bússola & Cia: Travel Next revela crescimento do turismo em MG

Mais na Exame