Um conteúdo Bússola

Bullla capta R$ 106,5 milhões para estruturar FIDC e financiar transações

Operação envolveu Vila Rica Capital, Genial Investimentos e Oliveira Trust
Proposta contribui fortemente para as pessoas de classe C e D (Getty Images/Getty Images)
Proposta contribui fortemente para as pessoas de classe C e D (Getty Images/Getty Images)
B
BússolaPublicado em 22/09/2022 às 10:00.

Por Bússola

O Bullla, fintech de crédito com foco nas classes C e D, captou sua primeira emissão de cotas seniores e subordinadas no valor total de R$ 106,5 milhões para estruturar um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs), que irá financiar as operações do seu cartão. A operação, que irá liquidar transações de compras e crédito parcelado, foi realizada com o suporte da Vila Rica Capital, Genial Investimentos e Oliveira Trust.

“As classes C e D possuem acesso restrito a produtos financeiros. Por isso, buscamos uma solução financeira para quem mais precisa de crédito. O principal impacto direto do Bullla é social. Nossa proposta é revolucionar o mercado financeiro e o universo de crédito para torná-lo mais justo, diverso e inclusivo”, afirma o CEO e cofundador do Bullla, Marcelo Villela.

Em 2020, o Bullla adquiriu as atividades da norte-americana WEX no Brasil e passou a comandar a operação de cartões da empresa. Hoje o Cartão Bullla, além de oferecer limite de crédito parcelado para colaboradores de empresas de todos os setores  sem juros para os funcionários e sem custo adicional aos empregadores, possibilita a antecipação salarial de até 30% do valor da remuneração mensal.

A fintech é pioneira no país e regulamentada pelo Banco Central (Bacen) no modelo de empréstimo pessoal entre pessoas, que promove conexão direta entre investidores e tomadores de crédito por meio de um ambiente organizado, transparente e seguro do ponto de vista tecnológico, jurídico e mercadológico.

Em 2021, o Bullla contabilizou, em média, 14 mil operações mensais por intermédio do cartão, que tem bandeira Mastercard, com movimentação financeira superior a R$ 204 milhões no ano passado, entre compras, saques e transferências.

Atualmente, mais de 380 mil cartões foram emitidos e, somente neste ano, entre maio e julho, 42.202 foram ativos. Entre a operação de cartão e de empréstimo pessoal, são mais de 1 milhão de clientes e mais de R$ 250 milhões movimentados por ano.

Benefícios flexíveis

Com a inclusão de benefícios flexíveis no mesmo cartão, o colaborador pode escolher como e onde gastar parte de seus benefícios recebidos com despesas como  mobilidade, auxílio, home office, saúde e bem-estar, educação e cultura, além do valor fixado e estabelecido por lei nos vales alimentação e refeição.

Os saldos e movimentações do cartão podem ser acompanhados pelo usuário através de um aplicativo, que traz também detalhes das compras com o cartão e do crédito parcelo.

“Enxergamos um futuro breve em que crédito não será mais um tabu e nem uma oportunidade de poucos, mas sim um projeto de inclusão social para oferecer dignidade, acessibilidade e autoestima para milhões de brasileiros”, afirma Villela.

Em sua carteira de clientes, o Bullla possui mais de 1 mil empresas parceiras de todos os portes voltadas principalmente para companhias de segurança, limpeza e fábricas em geral. Para  a área de Recursos Humanos, o cartão Bullla significa menos burocracia e estresse financeiro dos colaboradores, além de maior atratividade na retenção de talentos, com gestão automatizada para controle de despesas e suporte direto.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

IMC fecha acordo de venda de restaurantes no Panamá por US$ 40 milhões

Compliance deve ser parceiro de ESG das empresas, aponta especialista

Conforto digital é uma necessidade. Seu negócio está preparado?