Brasil

Rio terá pontos de ônibus com botão de alerta e câmera; relógios digitais medirão umidade do ar

Medidas constam de cláusulas do edital de concessão de equipamentos em áreas públicas, lançado pela prefeitura do Rio de Janeiro

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 31 de maio de 2024 às 08h37.

Dois assuntos recorrentes hoje no dia a dia dos moradores da cidade do Rio de Janeiro serão incorporados ao futuro mobiliário urbano da cidade: a segurança e a sensação térmica. Vinte por cento dos abrigos e totens de pontos de ônibus da cidade deverão ter botão de alerta, alto-falante e câmera interligados ao centro de controle da concessionária responsável pelos módulos. Já 130 dos 432 relógios digitais que estão em ruas e praças receberão medidores de umidade e de direção e velocidade dos ventos, que se comunicarão com o Centro de Operações Rio (COR), permitindo a ampliação dos pontos de aferição de sensação térmica.

As medidas constam de cláusulas do edital de concessão de equipamentos em áreas públicas, lançado pela prefeitura. A licitação é dividida em quatro lotes. Além de abrigos e relógios, é voltada para a exploração publicitária em telas digitais nas estações do sistema de bicicletas compartilhadas do Bike Rio e em estações e terminais do BRT. A entrega das propostas está marcada para 28 de junho na B3, a bolsa de valores de São Paulo. O leilão acontecerá na B3 no dia 3 de julho, quando as empresas fazem seus lances e será anunciado o resultado.

Sistema antivandalismo

Diretor de Estruturação de Projetos da Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar), Lucas Costa afirma que o maior desafio das empresas que apresentarem projetos para os abrigos de ônibus será o de propor um design que garanta a integridade do sistema de monitoramento voltado para segurança e outras emergências — como o socorro a quem passe mal:

"Deve ser antivandalismo. Mas, como haverá câmera, a pessoa que praticar o vandalismo vai ser filmada e cobrada. E vai ter seu ato postado nas redes sociais. No contrato, teremos uma cláusula de guarda das imagens por um mês".

Modelo semelhante funciona em cidades como São Paulo. No Rio, já foi implantado em paradas estratégicas do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no Centro.

Os locais para a instalação do sistema, ainda não determinados, serão escolhidos levando em conta as manchas criminais do Rio, entre outros critérios. Quanto ao funcionamento dos dispositivos, Costa explica como deverão operar:

"O monitoramento será ininterrupto. Mas, quando alguém acionar o botão de alerta, será emitido um som no centro de controle da concessionária e no próprio local da ocorrência. Não exigimos que a empresa converse com a pessoa. No entanto, quem estiver trabalhando vai ouvir o que ela tem a dizer e o que se passa, para que possa acionar as forças de segurança ou o resgate".

O edital determina a reforma dos 2.190 abrigos e totens de pontos de ônibus, incluindo a colocação do material de monitoramento em um quinto deles. O número de módulos, porém, deverá ser ampliado em 82%, com a implantação de outros 1.810 (20% deles também com o sistema de segurança), nos cinco primeiros anos da concessão.

Horários de ônibus

Mais uma novidade nas paradas de coletivos, estabelecida na licitação, será a instalação de telas informativas com o horário previsto de chegada do próximo veículo de cada linha. A medida será implementada em parceria com a Secretaria municipal Transportes, que acessa os dados de GPS das empresas de transporte e vai fornecê-los para serem divulgados pelo operador dos abrigos, que será único: hoje duas empresas fazem o serviço.

Os quatro lotes — abrigos, relógios e painéis publicitários de estações de bicicletas compartilhadas do Bike Rio e de estações e terminais do BRT — fixam a concessão em 20 anos. O investimento total previsto é de R$ 650 milhões. Cada lote poderá ter um vencedor. E uma mesma empresa poderá vencer mais de um lote.

Os relógios digitais, que hoje exibem temperatura e hora, não passarão a mostrar também a sensação térmica. A função dos sensores que serão instalados é aumentar os pontos desse tipo de medição de temperatura, feita pelo COR, que, este ano, chegou a atingir 62,3°C às 9h55 de 17 de março, em Guaratiba.

"Hoje, o COR tem sete radares meteorológicos. Passará a poder puxar dados para medir a sensação térmica de mais 130 pontos", observa Lucas Costa, diretor da CCPar.

Outorga de R$ 644 milhões

Na soma, os quatro contratos deverão repassar à prefeitura uma outorga mínima de R$ 644 milhões — metade imediatamente, e o restante em 16 anos, havendo carência de quatro anos para o começo do pagamento das prestações.

Outra contrapartida para os quatro contratos será destinar ao município 5% do faturamento bruto dos painéis de publicidade colocados nos equipamentos. O valor é estimado em R$ 317 milhões ao longo da concessão. O edital estabelece ainda que 15% da publicidade deverá ser de serviços e programas da prefeitura.

O início da operação dos futuros concessionários é imediato apenas nos casos da publicidade das estações da Bike Rio e das estações e dos terminais do BRT. O diretor de estruturação de projetos da Companhia Carioca de Parcerias e Investimentos (CCPar) explica que os novos operadores de abrigos e relógios terão que esperar o término do contrato dos atuais responsáveis. Assinados em 1999, com prazo de 20 anos, deveriam ter se encerrado. Mas, com prorrogações feitas, se estendem até 12 de dezembro de 2026.

O edital não trata ainda da operação da Bike Rio nem do BRT. A Tembici tem contrato até 21 de dezembro de 2037 para administrar o sistema das “laranjinhas”. E, no momento, a empresa Mobi Rio, do município, opera o BRT. Um detalhe: a publicidade do Terminal Intermodal Gentileza, em São Cristóvão, permanecerá com a concessionária do VLT.

Acompanhe tudo sobre:Rio de JaneiroMobilidade

Mais de Brasil

Lula veta ideia de fazer casa provisória no RS, dias após Leite anunciar medida

Motoristas de aplicativo: comissão da Câmara analisa regulamentação nesta terça

Vivo abraça diversidade e leva o compromisso interno para o mundo

'Para mim, você é um ET', diz Tarcísio a Campos Neto

Mais na Exame