Acompanhe:

A linha 7-rubi da CPTM de São Paulo foi concedida à iniciativa privada em um leilão na quinta, 29, junto ao projeto de trem São Paulo a Campinas. No entanto, levará mais de um ano para que o consórcio C2, vencedor da disputa, assuma a operação por completo.

O ramal liga Jundiaí, na Grande São Paulo, ao centro da capital, passando por cidades como Francisco Morato, Franco da Rocha e Caieiras.

A razão desta demora é evitar os erros na transição das linhas 8 e 9, em 2022, marcada por batidas, descarrilamentos e um forte aumento de falhas após a concessionária ViaMobilidade assumir a operação.

"Tudo que a gente que viu que deu errado das linhas 8 e 9 a gente tentou dar uma solução. Uma das coisas foi a antecipação de investimento, outra o tempo de transição, depois uma fase com a CPTM supervisionando o privado a trabalhar", disse Rafael Benini, secretário estadual de Parcerias e Investimentos.

Veja abaixo mais respostas sobre a transição.

Quando a CPTM deixará a operação da linha 7-rubi?

Desta vez, a transição durará até 18 meses após a assinatura do contrato. Essa assinatura pode ocorrer em até 120 dias após o leilão desta quinta, 29 de fevereiro. Com isso, a mudança deve ser concluída no final de 2025 ou começo de 2026.

Quem vai assumir a operação da linha 7-rubi?

O ramal vai ser operado pelo consórcio C2, formado pelo grupo Comporte e pela estatal chinesa CRRC. O Comporte opera o metrô de Belo Horizonte e o VLT de Santos, além de várias empresas de ônibus municipais e rodoviários, como a Prata e a Piracicabana.

O Comporte é controlado pela família Constantino, que fundou a Gol Linhas Aéreas e hoje atua como um dos controladores indiretos da empresa. A Gol atualmente faz parte do grupo Abra, holding que inclui a Avianca.

Já a CRRC é uma das maiores fabricantes de materiais ferroviários do mundo. Controlada pelo governo da China, ela já forneceu trens para o metrô do Rio de Janeiro e atuou em projetos em várias cidades da América Latina.

Mapa do projeto do trem intercidades (Arte/Exame)

A linha 7-rubi terá mudanças de traçado?

Com a concessão, a linha 7 passará a ir somente até a Barra Funda. Hoje, vai até o Brás, mas na prática os trens costumam seguir viagem até Mauá ou Rio Grande da Serra, passando pelo ABC paulista, no modelo chamado de serviço 710.

Assim, os passageiros que quiserem seguir viagem até o centro terão de descer na Barra Funda e pegar outra linha de trem ou o metrô.

No entanto, ainda não há data anunciada para o encurtamento do serviço.

A linha 7-rubi terá melhorias?

Sim. O contrato prevê reformas de estações, trocas de trens e outras mudanças, como alterações no pátio de trens da Lapa.

O preço da passagem vai subir?

A linha seguirá com a tarifa alinhada ao valor cobrado para viagens de trem e metrô na Grande São Paulo. Atualmente, a tarifa é de R$ 5, com reajustes quase sempre anuais, de acordo a inflação.

Os funcionários da linha 7 serão reaproveitados na nova operação?

Não há planos para isso, segundo Rafael Benini, secretário de Parcerias em Investimentos de São Paulo.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Participação de ferrovias no transporte de cargas ultrapassa 25%
Um conteúdo Esfera Brasil

Participação de ferrovias no transporte de cargas ultrapassa 25%

Há 3 horas

Lollapalooza Brasil 2024 terá transporte público 24h pela primeira vez
Pop

Lollapalooza Brasil 2024 terá transporte público 24h pela primeira vez

Há 3 semanas

Trens para Sorocaba, São José dos Campos e Santos estão em lista de projetos do governo
Brasil

Trens para Sorocaba, São José dos Campos e Santos estão em lista de projetos do governo

Há um mês

Quem são o grupo Comporte e a CRRC, vencedores do leilão do trem de São Paulo a Campinas
seloNegócios

Quem são o grupo Comporte e a CRRC, vencedores do leilão do trem de São Paulo a Campinas

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais