Brasil

Operação Maré: Polícia do RJ faz ação em favelas e busca cumprir 100 mandados de prisão

Operação com mil policiais é feita na Penha, Maré e Cidade de Deus

Rio de Janeiro, 06.10.2023 - Operacão Maré –  Core - Fotos: Philippe Lima (Philippe Lima/Agência Brasil)

Rio de Janeiro, 06.10.2023 - Operacão Maré – Core - Fotos: Philippe Lima (Philippe Lima/Agência Brasil)

Agência Brasil
Agência Brasil

Agência de notícias

Publicado em 9 de outubro de 2023 às 10h50.

A operação policial feita na manhã desta segunda-feira, 9, em três conjuntos de favelas do Rio de Janeiro busca cumprir 100 mandados de prisão. A informação foi divulgada pelo secretário estadual de Polícia Civil fluminense, José Renato Torres, em entrevista.

As ações fazem parte da Operação Maré, anunciada no fim de setembro pelo governo fluminense. Os policiais estão atuando nas comunidades da Cidade de Deus, Vila Cruzeiro (no Complexo da Penha), de Nova Holanda e do Parque União (ambas no Complexo da Maré).

As comunidades são controladas pelo Comando Vermelho, facção criminosa cujos integrantes, segundo a polícia, estariam envolvidos na morte dos três médicos na semana passada, na Barra da Tijuca.

“Todos os integrantes dessa facção criminosa que têm mandados de prisão são alvos da operação”, explicou Torres. “Hoje, especificamente, queremos atacar essa facção criminosa que está tentando expandir seu território e gerando conflito com outras organizações, trazendo certa instabilidade na nossa segurança”.

Operação Maré

A Operação Maré foi anunciada como resposta a criminosos da Maré, na zona norte da cidade, que usavam um espaço público de lazer para treinar seus homens em táticas de guerrilha.

Segundo Torres, a operação desta terça-feira foi expandida para a Penha, também na zona norte, e para a Cidade de Deus, na zona oeste, porque há informações de que lideranças criminosas da Maré buscaram refúgio nesses outros locais.

O secretário de Polícia Civil afirmou que, até a hora da coletiva, por volta das 7h, não havia ninguém ferido nas ações. Dois helicópteros da polícia, no entanto, foram atingidos e tiveram que pousar para verificar possíveis danos.

Apesar de a Operação Maré ter sido anunciada como ação conjunta com o governo federal, nas ações desta terça-feira não há a participação de agentes federais.

O secretário estadual de Polícia Militar, coronel Luiz Henrique Pires, afirmou que, mesmo sem a participação da Força Nacional de Segurança, cujo envio foi adiado pelo governo federal, a Polícia Militar está conseguindo atuar nas três comunidades simultaneamente.

“Todo reforço é importante, não só para o Rio de Janeiro, como para todos os estados do Brasil, mas nós temos capacidade e estamos atuando nas três comunidades. Essa questão está sendo resolvida entre o governo do estado e o governo federal”, disse.

Segundo Pires, todos os policiais militares estão usando câmeras corporais no Complexo da Maré. Também estão sendo usados drones com capacidade de fazer reconhecimento facial e leituras de placas de automóveis. As imagens estão sendo transmitidas, em tempo real, ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), do governo do estado.

Acompanhe tudo sobre:Polícia CivilRio de Janeiro

Mais de Brasil

Vice de Nunes será indicado pelo PL, mas prefeito não crava coronel aliado de Bolsonaro

Senado aprova marco legal para a produção do hidrogênio de baixo carbono

Privatização da Sabesp deve ter modelo definido nesta quinta-feira

Câmara aprova projeto que concede anistia de dívidas a produtores rurais do Rio Grande do Sul

Mais na Exame