Brasil

Doses de vacina chegam da Índia na sexta, diz Ministério da Saúde

O carregamento com 2 milhões de doses prontas da vacina está em um fornecedor do laboratório AstraZeneca na Ásia

 (Dado Ruvic/Reuters)

(Dado Ruvic/Reuters)

GG

Gilson Garrett Jr

Publicado em 21 de janeiro de 2021 às 16h21.

O Ministério da Saúde disse que as 2 milhões de doses da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca, em parceria com a Fiocruz, chegam no fim da tarde de sexta-feira, 22. O carregamento está em um fornecedor do laboratório na Índia.

“A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro”, diz a nota oficial enviada à imprensa nesta quinta-feira, 21.

O Ministério da Saúde tentou fazer uma importação na semana passada, mas problemas diplomáticos afetaram a exportação. Um avião chegou a ser deslocado para a viagem.

As vacinas desenvolvidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford estão sendo fabricadas no Instituto Serum da Índia, o maior produtor mundial de vacinas, que recebeu pedidos de países de todo o mundo.

O governo indiano suspendeu a exportação de doses até iniciar seu próprio programa de imunização no fim de semana passado. No início desta semana, a Índia enviou suprimentos gratuitos para países vizinhos, incluindo Butão, Maldivas, Bangladesh e Nepal.

Mais cedo, o secretário das Relações Exteriores, Harsh Vardhan Shringla, disse que o fornecimento comercial da vacina começaria na sexta-feira, de acordo com o compromisso do primeiro-ministro Narendra Modi de que a capacidade de produção da Índia seriam usadas por toda a humanidade para combater a pandemia.

“Seguindo essa visão, respondemos positivamente aos pedidos de fornecimento de vacinas manufaturadas indianas de países de todo o mundo, começando pelos nossos vizinhos”, disse ele, referindo-se ao fornecimento gratuito.

“O fornecimento das quantidades comercialmente contratadas também começará a partir de amanhã, começando por Brasil e Marrocos, seguidos pela África do Sul e Arábia Saudita”, acrescentou.

Incêndio atingiu laboratório indiano

O Instituto Serum, na Índia, foi atingido por um incêndio na manhã desta quinta-feira, 21. O instituto é o maior fabricante de vacinas do mundo e parceiro na produção da vacina contra a covid-19 de AstraZeneca e da Universidade de Oxford.

O governo brasileiro se pronunciou dizendo que a área de produção de vacinas não foi afetada e que não impacta na importação do imunizante que o Brasil ainda espera.

“Importante esclarecer que não houve prejuízo na produção das vacinas e nem no estoque. O incêndio atingiu dois andares do Terminal 1, onde está sendo construída uma nova fábrica. Bombeiros foram até o local com dez caminhões para o controlar o fogo e evitaram que o fogo se espalhasse”, diz a nota enviada à imprensa.

Acompanhe tudo sobre:AstraZenecaCoronaFiocruzMinistério da Saúdevacina contra coronavírus

Mais de Brasil

Manifestantes voltam à Avenida Paulista para ato contra o PL do Aborto

Greve nas universidades federais: o que reivindicam os professores e quais são as ofertas do governo

Enel confirma a Lula investimento de R$ 20 bi para acabar com apagões

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Mais na Exame