Brasil

Ciclone: travessia de balsa opera com restrição entre Guarujá e Bertioga

Em Bertioga, as rajadas de vento causaram a queda de 60 árvores e várias residências foram atingidas.

Imagens das câmeras do Departamento Hidroviário da balsa entre Guarujá e Bertioga (Departamento Hidroviário de SP/Reprodução)

Imagens das câmeras do Departamento Hidroviário da balsa entre Guarujá e Bertioga (Departamento Hidroviário de SP/Reprodução)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 15 de julho de 2023 às 15h51.

Cidades do litoral de São Paulo ainda se recuperam dos reflexos do ciclone extratropical que atingiu o Sul do País entre quarta, 12, e quinta-feira, 13. Na manhã deste sábado, 15, a travessia de balsas entre Guarujá e Bertioga operava com redução de capacidade, devido à maré agitada.

Em Bertioga, as rajadas de vento causaram a queda de 60 árvores e várias residências foram atingidas. Moradores, voluntários e equipes da prefeitura ainda trabalham na recuperação das avarias. A gestão municipal informou que, embora o tempo tenha melhorado, a Defesa Civil se mantém em alerta devido ao mar com ondas fortes.

A Festa da Tainha, evento tradicional que aconteceria neste fim de semana, foi adiada devido à previsão de ventos fortes. Segundo a prefeitura de Bertioga, a medida preventiva foi definida conforme orientação da Defesa Civil, de que é necessário evitar locais abertos e descampados. A festa foi transferida para o próximo fim de semana.

Em Cubatão, outra cidade afetada pela ventania, a prefeitura assinou decreto de estado de alerta, devido à instabilidade das condições climáticas. O município contabilizou a queda de 40 árvores em vários bairros. Três casas que foram atingidas por árvores estão sendo recuperadas. A prefeitura recupera também o almoxarifado central, que teve o telhado avariado.

Duas mortes foram registradas na quinta-feira, 13, em consequência dos reflexos do ciclone extratropical no interior e litoral de São Paulo. Em São José dos Campos, a estudante de medicina Camila Martins Araújo, de 24 anos, fazia aula prática em um veículo de autoescola quando o carro foi atingido pela queda de uma árvore de 29 metros.

Levada ao hospital, ela não resistiu à gravidade dos ferimentos. O corpo da jovem foi sepultado nesta sexta-feira, em São José dos Campos.

Em Itanhaém, no litoral sul, a idosa Iracy Alves de Oliveira, de 80 anos, morreu eletrocutada após ser atingida por fios eletrificados que caíram durante a ventania. De acordo com familiares, a idosa ficou sem energia em casa e saiu à rua para pedir informações à vizinha, quando tocou em um cabo elétrico pendurado, que se rompeu após ser atingido pela queda de ganhos de uma árvore.

Em nota, a Neoenergia Elektro lamentou o acidente e disse que as rajadas provocaram a queda da fiação e o contato acidental com o corpo da mulher.

Bloqueios no Sul

Duas rodovias continuam bloqueadas no interior do Rio Grande do Sul devido aos danos causados pelo ciclone extratropical que atingiu o Sul do País entre quarta e quinta-feira. A ERS 494 está interditada nos dois sentidos, no km 7, em Morro Azul, devido aos danos causados no desvio existente no local, onde uma ponte caiu em junho. A previsão é de que o desvio seja reaberto ainda neste sábado.

Em Alto Feliz, a VRS 826 está interditada no km 9,2, devido a avarias na estrutura de uma ponte. Conforme a Defesa Civil do Estado, o ciclone causou estragos em 63 cidades. Duas pessoas morreram: um homem de 68 anos que teve a casa atingida por uma árvore, em Rio Grande, outro de 43 achado morto no rastro do ciclone, em Lajeado, no Vale do Taquari.

Em Sede Nova, norte gaúcho, a prefeitura decretou estado de calamidade pública. Em Santa Catarina, outro estado atingido pelo ciclone, um homem morreu em Brusque, ao ser atingido pela queda de uma árvore.

Acompanhe tudo sobre:CicloneClimaDesastres naturais

Mais de Brasil

O que é um borderô? Saiba como usar a ferramenta

Onda de calor: Rio registra recordes históricos de temperatura máxima em maio

Senado aprova projeto que prevê plano para conter mudança climática

STJ torna governador do Acre réu por corrupção

Mais na Exame