Brasil

Chuvas no RS: centro de Porto Alegre é tomado pela água e 4 mil imóveis vão ficar sem energia

Prefeito da cidade afirma que está é a pior enchete da cidade desde 1941

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 3 de maio de 2024 às 16h48.

Última atualização em 3 de maio de 2024 às 18h07.

Tudo sobreRio Grande do Sul
Saiba mais

O centro da cidade de Porto Alegre está inundado na tarde desta sexta-feira, 3, após o rio Guaíba atingir um dos maiores níveis em 83 anos. Segundo a administração municipal, os portões próximos a região central não romperam, mas o alto volume de água passou pelas laterais das comportas.

O prefeito da capital, Sebastião Melo, determinou que o centro fosse evacuado, e orientou que as pessoas ficassem em casa e evitassem transitar pela região. Todos os acessos ao Centro Histórico foram bloqueados e comércios e lojas foram fechadas. São 68 desaparecidos e 39 mortes no estado, segundo coletiva feita pelo governador Eduardo Leite nesta sexta, 4, às 17h30 (horário de Brasília).

Ao menos 46 ocorrências estão em aberto, sendo 30 bloqueios totais e sete bloqueios parciais de vias. Outras 150 já foram encerradas pelo órgão desde o início do evento climático. O município está em estado de calamidade pública desde quinta-feira, 2.

“Esta não é a primeira enchente, mas talvez a maior desde 1941. A cada momento temos que tomar novas decisões e hoje estamos fechando comércio do Centro e 4° Distrito. O Mercado Público já está fechado desde as 10h, assim como as unidades de saúde do Centro. Os portões estão sendo vistoriados, mesmo assim temos problemas de vazamento de água’’, disse Melo em coletiva nesta manhã.

Porto Alegre

A única comporta que rompeu pela elevação do rio que banha a capital, até o momento, foi a 14, localizada na zona norte da cidade. Toda a região do 4º Distrito, que inclui os bairros de Floresta, Navegantes, Humaitá, São Geraldo e Farrapos, está inundado. 

Melo disse ainda que a possibilidade de fechar as entradas e saídas da Capital está sendo avaliada. “Estamos trabalhando em parceria com Exército e Governo do Estado para salvar vidas’’, diz Melo.

Segundo dados coletados por agentes do Serviço Geológico do Brasil e do Departamento de Gestão de Recursos Hídricos e Saneamento, às 15h30, o nível do Guaíba está em 4,58 metros no Cais Mauá, superando a cota de inundação, de 3 metros. É o maior nível do Guaíba desde 1941. A expectativa é de que a água atinja os 5 metros ainda hoje.

4 mil imóveis de Porto Alegre vão ficar sem energia elétrica

A CEEE Equatorial, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica na capital, anunciou no início desta tarde que vai realizar o desligamento da energia elétrica nas áreas mais atingidas pelos eventos climáticos de forma preventiva.

O desligamento vai atingir o Centro Histórico de Porto, no polígono que abrange trechos das avenidas Mauá, Borges de Medeiros e a Independência, assim como a rua Riachuelo e a Estação Rodoviária. Cerca de 4 mil imóveis ficarão sem energia elétrica, segundo a concessionária. A empresa não informou o horário e nem por quanto tempo as pessoas vão ficar em luz.

O estado do Rio Grande do Sul sofre com fortes chuvas, que já deixaram 37 mortos, de acordo com o último balanço divulgado pela Defesa Civil.

Porto Alegre

O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) informa que o nível do canal de expurgo da Estação de Bombeamento de Águas Pluviais (Ebap) da avenida Mauá, próximo ao Tribunal de Contas, está elevado e retornando para o Centro, na manhã desta sexta-feira, 3. (Giulian Serafim / PMPA/Divulgação)

Acompanhe tudo sobre:Rio Grande do SulPorto AlegreChuvas

Mais de Brasil

Quase 70% das micro e pequenas empresas do Brasil não tinham nenhum funcionário em 2022

Eleições municipais: Lula diz que vai fazer campanha contra 'adversários ideológicos'

Maria do Rosário tem 30,2% e Sebastião Melo, 24,8%,em Porto Alegre, aponta AtlasIntel

IPVA e Licenciamento: veja as diferenças e entenda para que serve

Mais na Exame