Brasil

Acampamento golpista é desocupado em Brasília e cerca de 1200 pessoas são detidas no local

Ministros da Casa Civil, Rui Costa, e da Defesa, José Múcio, acompanham operação de desocupação

Praticamente todos os manifestantes que estavam no local foram retirados. Ao todo, 1200 pessoas foram detidas no local (Youtube CNN/Reprodução)

Praticamente todos os manifestantes que estavam no local foram retirados. Ao todo, 1200 pessoas foram detidas no local (Youtube CNN/Reprodução)

AO

Agência O Globo

Publicado em 9 de janeiro de 2023 às 10h00.

Última atualização em 9 de janeiro de 2023 às 10h27.

Agentes da Polícia Militar do Distrito Federal e da Força Nacional de Segurança chegaram por volta das 7h ao acampamento bolsonarista em frente ao QG do Exército, em Brasília, para realizar a desocupação do local.

Cerca de 1200 pessoas foram detidas no acampamento de extremistas bolsonaristas em frente ao QG do Exército, em Brasília. De acordo com o Ministério da Justiça, o número ainda poderá ser atualizado. Segundo a pasta, os radicais foram encaminhados para a Polícia Federal para averiguação. A Polícia Civil informou, no entanto, que cerca de 40 ônibus estariam a caminho do Complexo da corporação.

Na noite de ontem, pelo menos 300 pessoas já tinham sido detidas após os atos terroristas que depredaram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF). Desde o final das eleições, bolsonaristas radicais montaram acampamento diante do QG do Exército por discordar do resultado das eleições.

LEIA TAMBÉM: O dia depois do 8 de janeiro – e as perguntas que precisam de resposta

Autoridades acompanham a ação in loco. Estão presentes o ministro da Defesa, José Múcio, o ministro da Casa Civil, Rui Costa, assim como o interventor federal na secretaria de Segurança do DF, Ricardo Capelli. Não houve confronto.

Parte dos manifestantes já havia começado a se desmobilizar nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira. Outros, entretanto, continuam acomodados em barracas e estruturas com lonas instaladas no espaço.

Cerca de dez ônibus da Polícia Militar chegaram ao local por volta das 7h. Desde a madrugada, viaturas da Polícia Militar já circulavam pelo entorno da área militar, cuja segurança é de responsabilidade do Comando do Exército.

Aproximadamente 15 soldados do Exército, acompanhados de um ônibus militar, fazem uma barreira impedindo o acesso de veículos. Manifestantes a pé, no entanto, podem entrar e sair da área livremente.

Uma boa parte deles está deixando o acampamento com mochilas, sacolas, barracas, cadeiras e travesseiros nas mãos. O acampamento diminuiu de tamanho desde a última segunda-feira. Policiais militares afirmaram que foram impedidos de entrar no setor.

Na madrugada desta segunda, o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou a "desocupação e dissolução total" de todos os acampamentos golpistas montados em frente aos quartéis em um prazo de 24 horas.

Acompanhe tudo sobre:BrasíliaExércitoGoverno Lula

Mais de Brasil

Tarcísio assina contrato para extensão da Linha 4-Amarela; veja quais serão as novas estações

Lula anuncia R$ 5 bi de investimentos do PAC em universidades para conter greve de professores

Eleitor exige governança contra crise climática, diz CEO da ComunitasBR

Congresso prorroga por 60 dias vigência de MP do setor elétrico

Mais na Exame