Brasil

No dia seguinte aos atos terroristas, cenário é de destruição na Praça dos Três Poderes

No Eixo Monumental, via que dá acesso à Esplanada, ferro retorcido, garrafas de água e cápsulas de bomba de gás estavam espalhadas no asfalto

Praça dos Três Poderes: Depredados, os prédios foram isolados para a realização de perícia (WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO/Estadão Conteúdo)

Praça dos Três Poderes: Depredados, os prédios foram isolados para a realização de perícia (WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO/Estadão Conteúdo)

AO

Agência O Globo

Publicado em 9 de janeiro de 2023 às 10h04.

Última atualização em 9 de janeiro de 2023 às 10h15.

Um dia após os palácios do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal terem sido invadidos por golpistas, o cenário é de devastação na Praça dos Três Poderes nas primeiras horas desta segunda-feira. No Eixo Monumental, via que dá acesso à Esplanada, ferro retorcido, garrafas de água e cápsulas de bomba de gás estavam espalhadas no asfalto.

LEIA TAMBÉM: O dia depois do 8 de janeiro – e as perguntas que precisam de resposta

Depredados, os prédios foram isolados para a realização de perícia. O objetivo é identificar as avarias e coletar evidências sobre os atos terroristas. No Palácio do Planalto, a perícia já foi concluída, mas a imprensa só pode acessar a área externa do prédio. Segundo a assessoria da Presidência, há cacos de vidro e sangue espalhados pelo prédio.

No eixo monumental, a Polícia Militar do Distrito Federal permitiu a entrada aos locais somente por servidores.

Às 7h20, funcionários do Senado foram autorizados a entrar na Casa Legislativa. Não puderem, contudo, acessar área próxima ao plenário, que foi depredada.

No espelho d'água em frente ao Congresso, um carro da Polícia Legislativa estava parcialmente adernado. Havia lixo acumulado e pichações. Na cúpula do Senado, golpistas escreveram "SOS FFAA" (Forças Armadas).

Bolsonaristas radicais invadiram o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto, neste domingo. Os participantes de atos antidemocráticos estavam com pedaços de paus e pedras.

Segundo a Polícia Civil, até as 23h deste domingo, 300 pessoas haviam sido presas por participar dos atos de vandalismo.

Acompanhe tudo sobre:BrasíliaGoverno Lula

Mais de Brasil

Cidades brasileiras têm queda no IDH, recuo na expectativa de vida e frequência escolar, aponta ONU

O frio vai continuar em São Paulo? Veja como ficam as temperaturas na semana

Moraes autoriza PF a ouvir Rivaldo Barbosa, investigado pela morte de Marielle

"Efeito devastador sobre civis", diz governo brasileiro sobre ataque de Israel em Rafah

Mais na Exame