Europa: sem gás e agora também sem açúcar? Usinas de beterraba encaram desafio

Agravamento da crise de energia, com escalada do preço do gás natural, faz usinas da Alemanha decidirem compartilhar o insumo para garantir suprimento de açúcar
Crise do açúcar na Europa: empresas se unem para compartilhar gás (Getty Images/Getty Images)
Crise do açúcar na Europa: empresas se unem para compartilhar gás (Getty Images/Getty Images)
Carla Aranha
Carla AranhaPublicado em 15/09/2022 às 13:43.

Diante do agravamento da crise do gás natural, usinas de beterraba da Alemanha e outros países estudam medidas para não fechar as portas. As fábricas de processamento de beterraba, que produzem açúcar, dependem do gás natural para seu funcionamento, segundo o Rabobank.  "A seca na parte central e sul da Europa neste ano impactou o cultivo e a produção de beterraba caiu cerca de 4%. E as usinas agora têm o desafio da crise energética", disse Andy Duff, estrategista global do Rabobank para o setor de açúcar, em podcast divulgado nesta quarta, dia 14.

Os produtores, segundo o Rabobank, tem duas preocupações em mente: o alto custo da energia e o risco da falta de gás. Caso a Rússia cumpra a ameaça de fechar as torneiras, a União Europeia deverá lidar com taxas maiores de inflação e uma limitação da capacidade industrial. O Nord Stream, gasouduto russo, responde por 40% do suprimentos para a Europa.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo toda manhã no seu e-mail. Cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Na Alemanha, quatro das maiores usinas de açúcar decidiram compartilhar a capacidade produtiva para enfrentar uma eventual escassez de gás nos próximos meses. O posicionamento foi adotado pela Nordzucker AG, Suedzucker AG, Pfeifer & Langen GmbH & Co KG e Cosun Beet Co, de acordo com o governo alemão.

O preço do gás natural disparou após a Rússia reduzir drasticamente as remessas para os países europeus, após a proposta da União Europeia em colocar um teto de preços para o insumo. Em agosto, o custo do gás registrou um aumento de cerca de dez vezes em relação ao mesmo período do ano passado. Na França, chegou a 880 euros por megawatt-hora.

A colheita de beterraba tem início no outono e inverno na Europa, que acaba no próximo dia 22. O processamento nas usinas começa em setembro e dura poucos meses, segundo o Rabobank. A estratégia de compartilhar gás e a capacidade operacional das usinas na Alemanha visa evitar o desabatecimento de açúcar, segundo as empresas, já que a beterraba só por ser estocada por um determinado período de tempo.

Outros setores industriais na Alemanha, maior economia da Europa, passaram a viver sob o temor de reduzir ou suspender a produção devido à crise de energia. "Os preços do gás natural representam um fardo pesado para muitas empresas que competem internacionalmente", disse Matthias Ruck, porta-voz da Evonik AG, segunda maior fabricante de químicos do mundo. A companhia decidiu substituir 40% do gás natural que utiliza por carvão e gás liquifeito -- e vem repassando parte dos custos para os consumidores. No primeiro semestre, a importação de produtos químicos aumentou 27% na Alemanha em comparação ao mesmo período do ano passado.

Notícias exclusivas de agro e o que movimenta o mercado

Você já conhece a newsletter semanal EXAME Agro? Você assina e recebe na sua caixa de e-mail as principais notícias sobre o agronegócio, assim como reportagens especiais sobre os desafios do setor e histórias dos empreendedores que fazem a diferença no campo.

Toda sexta-feira, você também tem acesso a notícias exclusivas, o que move o mercado e artigos de especialistas.

Série de vídeo EXAME Agro

Assista também à série de vídeo EXAME Agro, sobre os grandes empresários do agro, novas práticas de sustentabilidade, inovação e avanços tecnológicos no campo, gravadas no Brasil e no exterior. Quinzenalmente, um novo vídeo é publicado no canal da EXAME no YouTube.