Tecnologia

Samsung aposta em novas tecnologias e preço baixo no Galaxy S20

A fabricante sul-coreana apresenta seus novos smartphones, incluindo um aparelho com tela dobrável, para conter avanço da Huawei e deixar Apple para trás

Samsung, Galaxy Fold, do ano passado: expectativas em 2020 estão em novo dobrável, o Z Flip (Gleb Garanich/Reuters)

Samsung, Galaxy Fold, do ano passado: expectativas em 2020 estão em novo dobrável, o Z Flip (Gleb Garanich/Reuters)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 11 de fevereiro de 2020 às 06h01.

Última atualização em 11 de fevereiro de 2020 às 17h02.

São Paulo - A sul-coreana Samsung realiza nesta terça-feira, 11, seu evento mais importante do ano, o Galaxy Unpacked. Além da renovação anual da família de dispositivos Galaxy S, com três modelos do Galaxy S20, a empresa deve trazer ao mercado um novo smartphone com tela dobrável chamado Galaxy Z Flip. Assim como o Motorola Razr, o aparelho tem tela de seis polegadas que se dobra ao meio para ficar mais compacto e caber no bolso.

O Z Flip é o segundo tipo de smartphone com tela dobrável lançado pela Samsung. Enquanto o primeiro, o Galaxy Fold, vendeu 500.000 unidades (e sofreu após um defeito inicial no lançamento), a meta para o novo dobrável é chegar a 2,5 milhões, ou seja, cinco vezes mais, segundo reportagem do jornal local Korea Herald, que consultou fontes anônimas ligadas à empresa.

Durante a premiação do Oscar na noite do último domingo, 9, a Samsung revelou o visual do Galaxy Z Flip em um comercial.

O novo Galaxy S20 será o rival do iPhone 11, enquanto o Galaxy S20+ e o Galaxy S20 Ultra competirão com os iPhones 11 Pro e 11 Pro Max.

De acordo com estimativa da consultoria chinesa Counterpoint Research, o Galaxy S20 terá um conjunto de recursos tecnológicos que fará com que ele seja o smartphone topo de linha mais vendido da Samsung desde 2016, atingindo mais de 40 milhões de unidades comercializadas ao longo do ano.

O Galaxy S7, de 2016, é o detentor do recorde de vendas até agora, com mais de 50 milhões de unidades vendidas no ano de lançamento.

Além de inovar em câmeras e avançar nas especificações técnicas como faz anualmente, uma das estratégias da Samsung para vender mais neste ano será a venda de celulares do segmento premium com preços competitivos.

Enquanto o modelo anterior do Galaxy S20 custava 850 dólares, a expectativa do mercado é que ele chegue com preço de 800 dólares, uma redução de 6% que pode chamar a atenção de usuários de iPhones que precisam pagar de 700 a 1.449 dólares em um novo aparelho.

Com a Samsung vendendo mais produtos na zona de preços dos iPhones, o cenário é favorável para a sul-coreana que, agora, deve se preocupar com o avanço da rival chinesa Huawei.

Apesar de a Samsung ainda liderar com folga o mercado global, com 295 milhões de unidades vendidas em 2019, a Huawei teve um crescimento de 17% no ano passado.

Junta-se à isso a própria desaceleração global no mercado de smartphones e a nova ameaça do coronavírus, que fez a produção quase parar na China, onde Huawei e Apple produzem seus celulares.

A produção global no setor deve cair 12% neste primeiro trimestre, o menor nível em cinco anos, segundo a consultoria TrendForce informou na segunda-feira, 10. A Samsung é a menos afetada, com queda de somente 3% na produção, já que sua principal base de produção fica no Vietnã. Mas, entre competição e coronavírus, o cenário está longe de ser favorável.

Acompanhe tudo sobre:empresas-de-tecnologiaExame HojeSamsungSmartphones

Mais de Tecnologia

Quatro operadoras da China se unem para oferecer roaming 5G entre redes

Colher elétrica promete 'temperar' alimento sem utilizar mais sal

Plano do Instagram para engajar usuários pode dar certo?

Novo app permite instalar jogos retrô da Nintendo no iPhone; saiba como

Mais na Exame