Tecnologia

Contra Huawei, Apple corta preço de iPhone na China

Empresa americana dá desconto de até R$ 1700 nos aparelhos vendidos no país asiático

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 20 de maio de 2024 às 07h06.

A Appleresolveu adotar uma tática agressiva na China. A empresa americana está dando descontos de 2.300 yuans (aproximadamente R$ 1624) em iPhones selecionados para combater o crescimento da Huawei no mercado de smartphones. As informações são da Reuters.

A promoção começou nesta segunda-feira (20) e vai durar até a próxima terça-feira (28) na China. Os descontos são ainda maiores do que os que foram oferecidos em fevereiro, quando a companhia também fez promoções ao observar o crescimento da companhia rival.

Em fevereiro, a Apple deu descontos de 1300 yuans (aproximadamente R$ 918) em toda a linha do iPhone 15, já que o lançamento de 2023 estava abaixo da expectativa de vendas. Companhias parceiras da Apple na China chegaram a oferecer até 1000 yuan de desconto no período.

Competição acirrada

O maior desconto é aplicado ao modelo iPhone 15 Pro Max de 1TB, enquanto outros modelos também apresentam cortes de preço significativos. Por exemplo, a versão de 128 GB do modelo básico do iPhone 15 tem um desconto de 1.400 yuans (aproximadamente R$ 988), segundo verificações da Reuters na segunda-feira (20).

A pressão competitiva aumentada sobre a Apple surge após a Huawei ter introduzido no mês passado sua nova série de smartphones de alta gama, o Pura 70, após o lançamento do Mate 60 em agosto passado.

A gigante tecnológica chinesa revelou a série Pura 70, que substitui a "série P" de dispositivos que a empresa lançou pela primeira vez em 2012.

Este é o mais recente sinal de crescente confiança da Huawei, após a empresa ter lançado discretamente no ano passado seu smartphone Mate 60, que possuía um chip mais tecnológico que o apresentado pela Apple.

Isso levantou preocupações em Washington, porque os EUA impuseram sanções nos últimos anos destinadas a impedir que a Huawei acessasse essa tecnologia que estava nos telefones da empresa americana. Essas sanções, que começaram em 2019, quase eliminaram o negócio de smartphones da Huawei.

Agora, a Huawei está tentando um retorno. As remessas de smartphones da empresa na China aumentaram 64% ano a ano nas primeiras seis semanas de 2024, segundo a Counterpoint Research, enquanto as vendas do iPhone da Apple caíram 24% durante o mesmo período.

Acompanhe tudo sobre:ChinaEstados Unidos (EUA)AppleHuaweiSmartphones

Mais de Tecnologia

Instagram testa recurso que "força" exibição de anúncio no feed

X pode virar um OnlyFans depois da liberação de conteúdo pornô?

Como traçar rotas no Google Maps pelo celular

Mais na Exame