Tecnologia
Acompanhe:

Quanto o Google fatura por minuto e o risco de ficar fora do ar

A empresa já faturou 125,6 bilhões de dólares em apenas três trimestres de 2020

 (Bloomberg/Getty Images)

(Bloomberg/Getty Images)

L
Lucas Agrela

14 de dezembro de 2020, 09h54

Uma instabilidade de acesso pode custar caro para o Google, especialmente quando ela afeta diversos de seus serviços online, como aconteceu hoje. Sem buscador, YouTube, Drive e Classroom, a companhia fica sem parte importante de seus recursos.

Com faturamento de 46,1 bilhões no terceiro trimestre de 2020 (julho a setembro), o Google fatura por minuto 1,7 milhão de reais (ou 348,5 mil dólares). Neste ano, a companhia já faturou 125,6 bilhões de dólares, uma alta de 8,5% em relação ao mesmo período no ano anterior.

Ou seja, o impacto de uma instabilidade global de apenas alguns minutos pode representar uma perda milionária para a Alphabet, o grupo que controla o Google.

Por sorte, a falha de hoje, no entanto, não afetou sua principal fonte de receita: sua plataforma de anúncios na web. E vale notar que a companhia também possui fontes de receita recorrente, como assinaturas no YouTube Premium e espaço no Google Drive, além de receber um percentual das transações na Play Store, sua loja de aplicativos para smartphones com sistema operacional Android.