Nova tecnologia da FIFA promete marcar impedimentos com precisão na Copa do Mundo

O novo recurso funcionará em conjunto com o VAR tradicional e terá suas decisões exibidas no telão dos estádios
 (NESImages/DeFodi/Getty Images)
(NESImages/DeFodi/Getty Images)
A
André LopesPublicado em 02/07/2022 às 09:03.

Dificil de marcar até em tempos de VAR, a regra do impedimento na Copa do Mundo do Catar terá uma ajuda bem hi-tech. Na próxima edição do evento entra em cena o “impedimento semiautomático”, com está sendo chamado pela FIFA, e tem como objetivo tornar as marcações mais rápidas e eficientes.

O novo sistema consistente em câmeras especiais, que monitoram quase 30 possíveis pontos de contato do corpo do jogador cinquenta vezes por segundo. Em conjunto, os dados das câmeras serão cruzados com os do chip de movimento incorporado no corpo da bola oficial da Copa, batizada como Al Rihla.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês.

O novo recurso funcionará em conjunto com o VAR tradicional. Segundo a FIFA, a ideia é usar a tecnologia da maneira mais transparente possível, muito por conta das grandes polêmicas envolvendo o VAR em vários campeonatos pelo mundo.

Com o impedimento semiautomático, a expectativa é que os impedimentos mais complicados, que levam mais um minuto para serem marcados, serão detectados em menos de trinta segundos, o que resultará em mais tempo de bola rolando e menos tempo de paralisação na partida para decisões de arbitragem.

Os árbitros escalados para apitar as partidas do mundial vão receber um treinamento de duas semanas da FIFA para operar a nova tecnologia.