Tecnologia
Acompanhe:

Microsoft deve demitir mais de 10 mil funcionários

Segundo o CEO Satya Nadella, a empresa passará por dois anos "desafiadores"

Satya Nadella: CEO da Microsoft (Bloomberg/Getty Images)

Satya Nadella: CEO da Microsoft (Bloomberg/Getty Images)

A
André Lopes

Publicado em 18 de janeiro de 2023, 11h57.

Última atualização em 18 de janeiro de 2023, 14h12.

Microsoft planeja demitir mais de 10 mil funcionários da operação global da companhia ainda nesta quarta-feira, 18. Segundo a Bloomberg, o corte, que significa 5% do quadro de colaboradores, terá um custo de US$ 1,2 bilhão nas contas da empresa.

LEIA TAMBÉM: Apple adia lançamento de óculos de realidade aumentada

Nessa nova demissão em massa, nem mesmo o setor de tecnologia será poupado. Os cortes serão “significativamente maiores” do que o layoff de 1% em 2022. No ano passado, as funções mais afetadas foram as de consultoria e soluções para clientes.

O anúncio acontece dias após Satya Nadella, CEO da Microsoft, confirmar que a empresa passará por dois anos "desafiadores". “Tivemos muita aceleração durante a pandemia e há uma certa normalização dessa demanda. E, além disso, há uma verdadeira recessão em algumas partes do mundo", disse em entrevista para a CNBC.

Ainda não se sabe o número exato de demissões ou quais setores e países serão mais afetados.

Além da Microsoft,  gigantes da tecnologia como Meta, Amazon, Twitter e Salesforce também realizaram demissões no início do ano.