O plano do Google para dominar os relógios inteligentes

Sandar Pichai, do Google, diz que a empresa vai liberar, em duas semanas, um kit de desenvolvimento para relógios inteligentes e outros dispositivos vestíveis

	Sundar Pichai: o Google quer levar o Android além dos smartphones e tablets
 (Bloomberg)
Sundar Pichai: o Google quer levar o Android além dos smartphones e tablets (Bloomberg)
M
Maurício GregoPublicado em 10/03/2014 às 15:47.

São Paulo -- O Google vai facilitar o desenvolvimento de apps para dispositivos vestíveis, como os óculos Google Glass e os relógios inteligentes -- desde que eles empreguem o sistema Android. Em duas semanas, a empresa deve liberar um kit de desenvolvimento para gadgets desse tipo. 

A notícia foi dada por Sundar Pichai, vice-presidente sênior do Google responsável pelo Android. Pichai falou no evento South by Southwest, que acontece nesta semana em Austin, no Texas.

Pichai disse que o kit de desenvolvimento vai “expor aos desenvolvedores como achamos que esse mercado funciona”, conta o noticiário Cnet. Ele comparou a evolução dos dispositivos vestíveis à dos smartphones. 

Disse que o objetivo do Google é levar o Android além dos smartphones e tablets num cenário em que o usuário vai receber informações de múltiplas telas. 

“Quando olhamos para os dispositivos vestíveis, pensamos de forma ampla”, disse ele, segundo relato do site re/code. “Cabe aos nossos parceiros e desenvolvedores descobrir novas soluções. Poderia ser uma jaqueta com sensores. Não sei.”

Segundo relatos, o Google quase terminando o desenvolvendo uma versão do Android específica para dispositivos vestíveis. Ela poderia ser liberada nas próximas semanas.

Pichai não mencionou planos para outros dispositivos vestíveis do Google, além do Glass. Rumores indicam que a empresa trabalha em parceria com a LG no desenvolvimento de um relógio inteligente, que vem sendo apelidado Nexus Watch. Ele poderá ser apresentado em junho, durante a conferência Google I/O.

Um estudo da Jupiter Research aponta que o mercado de dispositivos computacionais vestíveis deve atingir 130 milhões de unidades até 2018, movimentando 19 bilhões de dólares. O volume de vendas previsto é cerca de dez vezes o que foi registrado em 2013.