Futuros modelos do Apple Watch vão medir temperatura e glicose

Relógio inteligente vai ganhar processador mais rápido e versão para esportes radicais

A Apple está desenvolvendo novos modelos e recursos de saúde para seu relógio inteligente, o Apple Watch, incluindo uma melhora no desempenho do aparelho, uma edição para esportes radicais e sensores para verificação de temperatura corporal e nível de açúcar no sangue.

A gigante sediada em Cupertino, na Califórnia, planeja atualizar a linha já este ano — com um modelo que provavelmente se chamará Apple Watch Series 7 — com processador mais rápido, melhora da conectividade sem fio e tela renovada, de acordo com pessoas com conhecimento dos planos.

No próximo ano, a empresa planeja atualizar a principal versão do Apple Watch e apesentar um sucessor para o Apple Watch SE, de preço mais popular, além de uma nova versão voltada para praticantes de esportes radicais.

Borda mais fina

A Apple já tinha como objetivo colocar um sensor de temperatura corporal no modelo deste ano, mas é mais provável que seja incluído na atualização de 2022.

Já o sensor do nível de açúcar no sangue, que ajudaria diabéticos a monitorar níveis de glicose, deve demorar vários anos para ficar pronto para lançamento comercial.

Para o modelo deste ano, a Apple testou uma tela com borda mais fina e uma nova técnica que traz o display para mais perto da película que cobre o aparelho. O novo Watch provavelmente será um pouco mais espesso, mas não a ponto de o usuário perceber a diferença.

O modelo atualizará a funcionalidade de banda ultralarga, a mesma tecnologia usada pelo localizador de itens AirTag.

Abrindo portas

Durante a conferência promovida para desenvolvedores no início de junho, a Apple fez uma prévia da próxima atualização do software watchOS 8, que permitirá que o dispositivo destranque portas e quartos de hotel.

O modelo voltado para esportes radicais, descrito por alguns dentro da Apple como edição “explorer” ou “adventure”, estava sendo elaborado para lançamento ainda este ano, mas agora é mais provável que o lançamento aconteça em 2022.

Esse novo modelo ajudaria a Apple a competir com produtos robustos de rivais como Garmin e Casio Computer.

Uma porta-voz da Apple não quis comentar. Segundo as fontes, os planos da companhia não estão totalmente definidos e podem mudar.

Quesito importante na pandemia

A Luxshare Precision Industry é a principal responsável pela montagem da linha Apple Watch. Hon Hai Precision Industry e Foxconn também trabalham nessa atividade. A Compal Electronics, de Taiwan, também atua na montagem do Apple Watch SE.

A mensuração da temperatura corporal se tornou essencial para a detecção da Covid-19, gerando aumento na demanda por aparelhos como o Withings Thermo.

Algumas empresas oferecem pequenos termômetros digitais que se conectam à entrada do carregador de bateria do smartphone. Adicionar esta funcionalidade ao Watch ajudaria a Apple a concorrer com outros smartwatches e pulseiras fitness, incluindo produtos vendidos pela Fitbit, pertencente à Alphabet, dona do Google.

A Apple tenta desenvolver há muito tempo um recurso para monitorar açúcar no sangue e nenhum concorrente oferece isso. No momento, existem aplicativos nos quais o usuário insere seu nível de glicose manualmente.

Algumas fabricantes de dispositivos médicos, como a Dexcom, compartilham dados com o Apple Watch. Os usuários normalmente precisam espetar o dedo para retirar sangue e obter uma medição exata de glicose, mas a Apple almeja uma solução não invasiva, capaz de analisar o sangue através da pele.

Desde que chegou às lojas em 2015, o Apple Watch se tornou peça fundamental do portfólio de produtos da marca. Junto com o iPhone e o iPad, o dispositivo forma o ecossistema de hardware da empresa e colaborou para que a categoria mais ampla de wearables, produtos para casa e acessórios da Apple gerasse mais de US$ 30 bilhões no último ano fiscal.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também