Tecnologia

Falha no Bang With Friends expõe identidade de usuários

Uma falha antiga do Bang With Friends revela nomes de amigos no Facebook que usam o serviço que facilita encontros casuais “apimentados”

O Bang With Friends já tem quase 1 milhão de usuários que marcaram mais de 200 mil encontros (Divulgação)

O Bang With Friends já tem quase 1 milhão de usuários que marcaram mais de 200 mil encontros (Divulgação)

Maurício Grego

Maurício Grego

Publicado em 10 de maio de 2013 às 17h33.

São Paulo — Uma das razões para o sucesso do Bang With Friends, serviço que facilita encontros casuais “apimentados” entre usuários do Facebook, é a privacidade. A promessa é: “Seus amigos nunca vão saber que você está interessado a não ser que estejam também!”.

Mas uma falha vem expondo a identidade de alguns usuários do serviço. Ela afeta pessoas que começaram a usá-lo antes de janeiro, quando foram feitas mudanças para reforçar a privacidade. A lista dos amigos que usam Bang With Friends aparece prontamente numa página no próprio Facebook.

Segundo o Wall Street Journal, o problema é que, até janeiro, quando alguém começava a usar o Bang With Friends, ele adotava as configurações de privacidade da pessoa no Facebook. A maioria dos usuários mantém, como padrão, a opção de publicar conteúdo publicamente ou para todos os amigos.

Assim, o Bang With Friends também se tornava visível para essas pessoas com acesso ao conteúdo do usuário. Em janeiro, os desenvolvedores mudaram o ajuste padrão do app para que ficasse visível somente para o próprio usuário.


Assim, a menos que a pessoa tenha alterado esse ajuste, outras pessoas não podem ver que ela usa o Bang With Friends. Os criadores do app dizem que poucos usuários foram afetados.

Mesmo assim, a falha mostra, mais uma vez, que é arriscado confiar demais na privacidade numa rede social.

O Bang With Friends revelou, em abril, que estava perto de conquistar 1 milhão de usuários, 70% deles na faixa de 18 a 34 anos, e que já havia propiciado 200 mil encontros. Os criadores do serviço evitam revelar sua identidade.

Em abril, circulou a notícia de que a empresa receberia 1 milhão de dólares de investidores. Ela lançou, nesta semana, aplicativos móveis para iPhone e para smartphones com Android. 

Acompanhe tudo sobre:#failAndroidAppsApps AndroidApps para iPhoneEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetiPhonePrivacidadeRedes sociaisServiços online

Mais de Tecnologia

TikTok passa a testar vídeos de 60 minutos e acirra disputa com YouTube

Como tirar o online do WhatsApp no Android? Confira o tutorial no app

Como escanear documentos no seu smartphone sem instalar nada

Como descobrir uma fonte a partir da imagem pela internet

Mais na Exame