Tecnologia

Enquanto a Apple enfrenta bloqueio na China, a Huawei apresenta um concorrente para o iPhone

Enquanto a China limita o uso do iPhone por oficiais do governo, a Huawei lança o Mate 60 Pro, um smartphone com conectividade ultra-rápida

Mate 60 Pro, da Huawei: novo smartphone pode recuperar o prestigio da fabricante (EPA-EFE/Reprodução)

Mate 60 Pro, da Huawei: novo smartphone pode recuperar o prestigio da fabricante (EPA-EFE/Reprodução)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 8 de setembro de 2023 às 07h55.

Última atualização em 6 de outubro de 2023 às 16h22.

A Huawei lançou um smartphone com capacidades de conexão ultra-rápidas, posicionando-se como um rival direto da Apple na China. O lançamento ocorre após a decisão da China de proibir alguns oficiais do governo de usar iPhones.

A nova oferta da Huawei, o Mate 60 Pro, teve sua primeira leva esgotada em poucas horas, indicando uma forte demanda no mercado chinês.

Leia também: 'Maldição' da era Trump resultou em smartphone 100% chinês

Vendido a US$ 960 na pré-venda, ele é encarado pelos analistas como um trunfo para aproveitar o banimento do iPhone e a imagem arranhada da Apple, que retirou alguns postos de trabalhos do país após migrar fábricas para a Índia.

Em 2022, a Apple enviou 224,7 milhões de iPhones para o mercado chinês, de acordo com a Counterpoint Research. Para 2024, Martin Yang, analista da Oppenheimer, estima que a Apple possa perder até 10 milhões de envios de iPhones devido ao novo dispositivo da Huawei.

O futuro do iPhone

Enquanto a Apple se prepara para lançar o iPhone 15 na próxima semana, a decisão da China permanece envolta em mistério. No entanto, o movimento pode ter repercussões significativas para a reputação da empresa americana no mercado chinês.

A Huawei não rotula seu novo dispositivo como um telefone 5G, mas testes mostram que pode atingir velocidades de download entre 500 e 800 megabits por segundo, ultrapassando as redes 4G. O dispositivo também possui características distintas, como comunicações via satélite via BeiDou, o GPS chinês.

O modo como a Huawei alcançou tal inovação tem sido objeto de especulação, especialmente considerando as sanções que limitam seu acesso a tecnologias e componentes dos EUA.

No quesito chips, a empresa não revela quem é o fornecedor e fabricantes tradicionais não confirmaram a relação com a empresa.

Por da trás do mistério, a Huawei afirma que aumentou sua relação com fornecedores locais em resposta às ações dos EUA que limitaram o acesso da empresa a tecnologias desde 2019.

Golpe no maior mercado da Apple

A China recentemente ultrapassou os EUA como o maior mercado de iPhones, representando 24% de todos os envios de iPhone no último trimestre. Embora a Apple mantenha uma participação significativa no mercado de smartphones de alto padrão na China, o crescimento da Huawei indica uma concorrência crescente.

A popularidade do novo dispositivo da Huawei é evidente, com um vídeo promocional gerando mais de 370.000 curtidas em uma plataforma semelhante ao YouTube.

Em Shenzhen, consumidores, incluindo usuários atuais do iPhone, mostraram interesse no Mate 60 Pro, sublinhando a ameaça competitiva que a Huawei apresenta para a Apple na China.

Acompanhe tudo sobre:HuaweiAppleChinaiPhone

Mais de Tecnologia

Brasil será primeiro país a receber recurso antirroubo do Google para android

Musk critica aliança Apple-OpenAI e ameaça barrar iPhone em suas empresas

Apple apresenta versão do iPhone com IA nesta segunda; veja o que esperar

LinkedIn atinge 75 milhões de usuários no Brasil com forte crescimento da Geração Z

Mais na Exame