Baidu obtém licença para primeiros táxis sem motorista da China

Os veículos, 100% operados por inteligência artificial, atenderão clientes nas cidades de Wuhan e Chongqing
Um robôtaxi autônomo da Apollo, em Guangzhou, na China (Bloomberg/Getty Images)
Um robôtaxi autônomo da Apollo, em Guangzhou, na China (Bloomberg/Getty Images)
B
Bloomberg

Publicado em 08/08/2022 às 18:28.

Última atualização em 08/08/2022 às 18:37.

A Baidu ganhou aprovação para implantar os primeiros táxis totalmente autônomos da China, saindo na frente de rivais como Pony.ai e XPeng.

A gigante de tecnologia obteve licenças para operar robotáxis em Wuhan e Chongqing, segundo comunicado na segunda-feira, 8. A medida marca um relaxamento das regras chinesas, que anteriormente exigiam que alguém estivesse no veículo para assumir o controle em caso de emergência.

 

A Baidu começará a fornecer serviços de táxis autônomos em áreas designadas em Wuhan entre 9h e 17h e Chongqing das 9h30 às 16h30, com cinco unidades de quinta geração da Apollo operando em cada cidade. A área de serviço abrange 13 quilômetros quadrados na Zona de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico de Wuhan e 30 quilômetros quadrados no distrito de Yongchuan, em Chongqing.

A empresa trabalhará com reguladores em cidades como Pequim e Guangzhou para obter licenças semelhantes, disse Wei Dong, vice-presidente do Baidu Intelligence Driving Group.

“É como se tivéssemos pousado na Lua e construído uma base lá”, disse ele em uma entrevista em vídeo. “É apenas uma questão de tempo para irmos a Marte ou até mesmo além do nosso sistema solar.”

Nos EUA, a Cruise ganhou em junho uma licença para cobrar por corridas em veículos autônomos em áreas selecionadas de São Francisco, mas a startup apoiada pela GM está sob investigações após dois acidentes, incluindo um que deixou duas pessoas com ferimentos leves. Na China, a Baidu e a startup de direção autônoma Pony.ai foram aprovadas por reguladores locais para implantar carros sem ninguém no banco do motorista em parte de Pequim.

A Baidu, que operava o maior mecanismo de busca na internet da China, está migrando para inteligência artificial e carros autônomos depois que sua principal receita de publicidade encolheu na era da telefonia móvel. Seu negócio de direção inteligente fornece software para montadoras como Geely e administra um aplicativo de carona movido por uma frota de carros autônomos nas principais cidades, incluindo Pequim e Xangai.

Em julho, a Baidu apresentou uma nova versão de seu robotáxi, chamado Apollo RT6, cujas viagens custam quase 50% a menos que no seu modelo anterior, abrindo a oportunidade para viagens mais baratas. A empresa dobrará o número de robotáxis nas ruas chinesas para 600 veículos até o final deste ano, segundo Wei.