Tecnologia

Ataque hacker pode expor 37 milhões de adúlteros

Ataque a base de dados do site de relacionamento AshleyMadison pode expor 37 milhões de adultos comprometidos que buscaram uma aventura


	Traição: 37 milhões de clientes de site para adúlteros podem ter dados vazados
 (thinkstock)

Traição: 37 milhões de clientes de site para adúlteros podem ter dados vazados (thinkstock)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 20 de julho de 2015 às 15h17.

São Paulo – Um ataque virtual ao site AshleyMadison pode resultar no vazamento de informações pessoais e bancárias de 37 milhões de usuários do serviço. O site é famoso por promover encontros entre pessoas casadas ou comprometidas. "A vida é curta. Curta um caso", é o slogan da rede.

A informação foi publicada primeiro pelo especialista em segurança Brian Krebs e posteriormente confirmada pelo CEO do grupo Avid Life Media – que controla o AshleyMadison.

Um grupo chamado The Impact Team assumiu a autoria do ataque. Eles estão chantageando o grupo Avid Life Media. A demanda é que a ALM tire do ar os sites AshleyMadison e Established Men. Caso contrário, dados de clientes e também de funcionários da empresa serão publicados na internet.

O CEO do grupo ALM diz que a empresa não sabe dados de quantos usuários vazaram. A base de clientes do serviço ultrapassa 37 milhões de pessoas.

Em um comunicado, o grupo que atacou o site afirmou que decidiu fazer isso por conta de práticas mentirosas do AshleyMadison. O serviço cobra uma taxa de 19 dólares para apagar completamente um perfil da base de dados.

De acordo com o grupo de hackers, o site AshleyMadison não apaga os dados. Somente essa taxa foi responsável por uma renda de 1,7 milhão de dólares em 2014.

Alguns dados obtidos pelos hackers sugerem que o grupo ALM tinha ciência que havia uma brecha de segurança que poderia ser usada para acessar dados confidenciais de clientes, de acordo com Krebs.

“Fomos capazes de deixar nosso site seguro e de fechar os pontos de acesso. Estamos trabalhando com agências de lei, que estão investigando esse ato criminoso”, escreveu a Avid Life Media em um comunicado público.

Há poucos meses, o site de relacionamento AdultFriendFinder havia sido invadido.

Acompanhe tudo sobre:HackersInternetRedes sociaisSites

Mais de Tecnologia

Alexa, da Amazon, pode subir preço em versão mais inteligente para competir com ChatGPT

CEO da Nvidia ganha US$ 7,6 bilhões em um só dia

Muito tempo no celular? Veja dicas para diminuir seu tempo de tela

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

Mais na Exame