Tecnologia

Apple nega redução de precisão de autenticação facial do iPhone X

Em resposta a informação divulgada pela Bloomberg News, a Apple disse que a informação é "completamente falsa"

iPhone X: na reportagem, a agência citou fontes próximas de pessoas familiarizadas com a situação (Stephen Lam/Reuters)

iPhone X: na reportagem, a agência citou fontes próximas de pessoas familiarizadas com a situação (Stephen Lam/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 25 de outubro de 2017 às 16h34.

A Apple contestou uma reportagem publicada pela agência Bloomberg News nesta quarta-feira de que recentemente permitiu que seus fornecedores reduzam a precisão do sistema de reconhecimento facial do iPhone X para acelerar a produção do celular.

Em um comunicado à Reuters, a Apple disse que "a afirmação da Bloomberg de que a Apple reduziu as especificações de precisão da Face ID é completamente falsa".

A Bloomberg, que citou fontes próximas de pessoas familiarizadas com a situação, disse que a Apple relaxou algumas das especificações técnicas para sensores para o sistema Face ID, tornando mais rápido testar as peças.

Uma porta-voz da Bloomberg disse que a empresa mantém a informação, apesar da negativa da Apple.

As ações da Apple recuavam cerca de 0,5 por cento nesta tarde em Nova York.

O sistema Face ID --dentre as características mais comentadas do novo iPhone X de 999 dólares-- usa um padrão matemático de rostos dos usuários para permitir que acessem seus telefones ou paguem por produtos com um olhar fixo para o aparelho.

A empresa tem enfrentado uma série de problemas com o último conjunto de celulares que lançou em 12 de setembro, com os iPhones 8 e 8 Plus tendo baixa demanda e a mídia e analistas sugerindo planos de redução de entregas do iPhone X.

O iPhone X deve ser lançado em 3 de novembro.

Em sua declaração, a Apple disse que espera que o iPhone X entre em venda conforme o planejado no dia 3 de novembro com o recurso Face ID.

"A qualidade e a precisão da Face ID não mudaram. Continua a ser uma em um milhão a probabilidade de uma pessoa aleatória desbloquear seu iPhone com Face ID", afirmou a empresa em um comunicado.

A notícia da Bloomberg não especificou se a Apple relaxou seus requisitos antes ou depois de anunciar o nível de precisão do Face ID de um em um milhão na entrevista à imprensa em 12 de setembro.

Acompanhe tudo sobre:AppleiPhoneiPhone XSmartphones

Mais de Tecnologia

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

O que esperar do balanço da Nvidia, a mais nova queridinha de Wall Street

Quatro operadoras da China se unem para oferecer roaming 5G entre redes

Colher elétrica promete 'temperar' alimento sem utilizar mais sal

Mais na Exame