Acompanhe:

A Apple não vai mais entrar na briga da produção dos carros elétricos. Já eram dez anos de trabalhos e pesquisas na área, sendo um dos projetos mais ambiciosas da história da empresa.

A Apple fez a revelação na terça-feira, surpreendendo os quase 2.000 funcionários que trabalham no projeto, segundo a Bloomberg. Muitos funcionários da equipe de carros serão transferidos para a divisão de inteligência artificial, uma das prioridades da empresa neste momento. Haverá demissões, mas o tamanho da corte ainda é incerto.

A medida foi um alívio para os investidores. As ações subiram 1%, a US$ 182,63, no fechamento em Nova York.

Elon Musk, dono da Tesla, também comemorou a mudança. Ele compartilhou uma publicação no X com um emoji de saudação e um cigarro.

Apple estava no projeto há 10 anos

A gigante da tecnologia começou a trabalhar no Projeto Titan por volta de 2014, visando um veículo elétrico totalmente autônomo com um interior semelhante ao de uma limusine e navegação guiada por voz.

O projeto enfrentou dificuldades quase desde o início, com a Apple mudando várias vezes a liderança e a estratégia da equipe.

De acordo com a Bloomberg, a Apple ainda estava a anos de produzir um carro e contemplou muitos designs diferentes. Além da aparência do veículo, a descoberta da tecnologia de direção autônoma era um grande desafio. A Apple testava seu sistema em estradas desde 2017, usando a parte externa de um SUV Lexus, colocando dezenas de veículos em estradas nos EUA. A empresa também testou componentes mais secretos em uma pista gigantesca em Phoenix, que já foi propriedade da Chrysler.

Com o andamento dos trabalhos, a Apple estava calculando que seu carro custaria em torno de US$ 100.000. A diretoria da empresa também estava preocupada em continuar gastando centenas de milhões de dólares por ano em um projeto que talvez nunca vingasse de fato.

O momento atual do mercado dos veículos elétricos não é dos melhores. O crescimento das vendas perdeu força nos últimos meses depois que preços altos e a falta de infraestrutura de recarga desencorajaram os compradores a mudar para veículos totalmente elétricos. A General Motors e a Ford estão se voltando para a produção de mais veículos híbridos depois de enfrentarem uma demanda fraca por carros elétricos e gargalos na fabricação. Com isso, montadoras estão cortando os preços, metas de produção e previsões de lucro.

Até o momento, a maior investida da Apple no setor automotivo foi o software CarPlay, que permite que os motoristas acessem os recursos do iPhone, como mapas e Siri. Ele está sendo redesenhado para se integrar mais profundamente aos controles e sistemas de entretenimento dos veículos.

A Apple continua investindo pesadamente em outras áreas. A empresa gastou US$ 113 bilhões em pesquisa e desenvolvimento nos últimos cinco anos, com uma taxa média de crescimento anual de cerca de 16%. A empresa lançou recentemente o headset Vision Pro - sua primeira nova categoria de produto em quase uma década. O Vision Pro vem recebendo críticas pelo preço alto e as vendas não estão indo como o esperado pela companhia.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Apple demite 600 pessoas na Califórnia após encerrar projeto de carros elétricos
Tecnologia

Apple demite 600 pessoas na Califórnia após encerrar projeto de carros elétricos

Há 6 horas

Onda do carro chinês: o plano da Omoda e Jaecoo para ter 50 lojas até o fim do ano
Casual

Onda do carro chinês: o plano da Omoda e Jaecoo para ter 50 lojas até o fim do ano

Há 6 horas

Ford (NYSE:F) anuncia expansão de veículos elétricos híbridos; ação sobe quase 2% no pré-mercado
seloMercados

Ford (NYSE:F) anuncia expansão de veículos elétricos híbridos; ação sobe quase 2% no pré-mercado

Há um dia

Impulsionada por elétricos, ações da Volvo sobem 6% após vendas baterem recorde
seloMercados

Impulsionada por elétricos, ações da Volvo sobem 6% após vendas baterem recorde

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais