• AALR3 R$ 20,17 -0.15
  • AAPL34 R$ 67,69 1.36
  • ABCB4 R$ 16,87 1.08
  • ABEV3 R$ 13,99 -0.21
  • AERI3 R$ 3,79 4.12
  • AESB3 R$ 10,88 1.68
  • AGRO3 R$ 30,94 0.65
  • ALPA4 R$ 20,81 1.71
  • ALSO3 R$ 19,43 2.21
  • ALUP11 R$ 27,01 0.78
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,19 3.79
  • AMER3 R$ 23,88 1.75
  • AMZO34 R$ 64,20 -3.66
  • ANIM3 R$ 5,69 4.40
  • ARZZ3 R$ 80,31 -1.29
  • ASAI3 R$ 15,92 -0.25
  • AZUL4 R$ 21,78 3.22
  • B3SA3 R$ 12,16 1.00
  • BBAS3 R$ 38,22 3.30
  • AALR3 R$ 20,17 -0.15
  • AAPL34 R$ 67,69 1.36
  • ABCB4 R$ 16,87 1.08
  • ABEV3 R$ 13,99 -0.21
  • AERI3 R$ 3,79 4.12
  • AESB3 R$ 10,88 1.68
  • AGRO3 R$ 30,94 0.65
  • ALPA4 R$ 20,81 1.71
  • ALSO3 R$ 19,43 2.21
  • ALUP11 R$ 27,01 0.78
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,19 3.79
  • AMER3 R$ 23,88 1.75
  • AMZO34 R$ 64,20 -3.66
  • ANIM3 R$ 5,69 4.40
  • ARZZ3 R$ 80,31 -1.29
  • ASAI3 R$ 15,92 -0.25
  • AZUL4 R$ 21,78 3.22
  • B3SA3 R$ 12,16 1.00
  • BBAS3 R$ 38,22 3.30
Abra sua conta no BTG

Após anos em queda, mercado de PCs volta a crescer em 2019

Entre as fabricantes, a Lenovo cresceu 8,4%, enquanto a Apple viu suas vendas caírem em 2019
Computadores: mercado vinha em quedas anuais consecutivas desde 2011 (Site Exame/Lucas Agrela)
Computadores: mercado vinha em quedas anuais consecutivas desde 2011 (Site Exame/Lucas Agrela)
Por Rodrigo LoureiroPublicado em 14/01/2020 16:54 | Última atualização em 14/01/2020 17:08Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - Dados das consultorias de análise de mercado Gartner e IDC mostram que a indústria mundial de computadores voltou a crescer. Segundo o levantamento das duas empresas, após quedas consecutivas registradas desde 2011, o setor terminou 2019 com números positivos.

Segundo o IDC, a alta na venda de computadores é de 2,7% e foi motivada pelos bons números conquistados no quarto trimestre do ano passado em relação ao mesmo período de 2018. Nos meses de outubro a dezembro foram vendidos 71,8 milhões de computadores, 4,8% a mais do que no ano retrasado.

O percentual é maior do que o registrado pelo Gartner, que estima crescimento de 0,6% no ano e 2,3% no trimestre. A variação tem relação com a venda de Chromebooks. Enquanto o IDC acopla os dados da comercialização dos aparelhos com as vendas PCs, o Gartner deixa esses dispositivos de fora da conta.

Entre os motivos que explicam o bom resultado de 2019 está uma renovação de parque motivada pelo fim do suporte do Windows 7. O sistema operacional da Microsoft não deve receber novas atualizações a partir de janeiro deste ano. 

No mercado

No mercado, quem levou a melhor foi a Lenovo. Líder com 24,3% do comércio global, a fabricante chinesa viu suas vendas aumentarem 8,4% para 64,7 milhões de unidades em 2019. As americanas HP e Dell seguem na sequência com fatias de 23,6% e 17,5% das vendas, segundo o IDC.

Do outro lado, 2019 não foi um ano positivo para a Apple e para a Acer. A fabricante que usa o logo da maçã vendeu apenas 17,6 milhões de computadores em 2019, 2,2% a menos do que em 2018. Já a Acer despencou 4,6% no período e terminou o ano com 17 milhões de PCs vendidos.

Veja Também

Apple testa iPhone com carregador USB para atender lei da UE
Tecnologia
Há uma semana • 3 min de leitura

Apple testa iPhone com carregador USB para atender lei da UE

Bitcoin e Apple: qual a rentabilidade de dois dos maiores ativos do mundo?
Future of Money
Há uma semana • 6 min de leitura

Bitcoin e Apple: qual a rentabilidade de dois dos maiores ativos do mundo?

Queda da Apple do pico de janeiro supera 20% com liquidação tech
Mercados
Há uma semana • 3 min de leitura

Queda da Apple do pico de janeiro supera 20% com liquidação tech

Roubo de celular: veja 5 dicas para proteger informações financeiras
Minhas Finanças
Há uma semana • 3 min de leitura

Roubo de celular: veja 5 dicas para proteger informações financeiras

Apple aposenta seu emblemático iPod
Tecnologia
Há uma semana • 2 min de leitura

Apple aposenta seu emblemático iPod

Conheça as ações e os ETFs americanos favoritos dos brasileiros
Onde Investir
Há uma semana • 3 min de leitura

Conheça as ações e os ETFs americanos favoritos dos brasileiros