Tecnologia

Android já tem mais aplicativos grátis que iPhone

Em março, o número de aplicativos gratuitos no Android Market, do Google, superou o total de programas grátis para iPhone disponíveis na App Store, da Apple

O Android já tem mais aplicativos gratuitos que o iPhone, mas perde, de longe, no número de aplicativos pagos  (Reprodução)

O Android já tem mais aplicativos gratuitos que o iPhone, mas perde, de longe, no número de aplicativos pagos (Reprodução)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de junho de 2011 às 20h47.

São Paulo - Pela primeira vez, o número de aplicativos gratuitos no Android Market, do Google, superou o total de programas grátis para iPhone na App Store, da Apple, em mais de 10 mil aplicativos. Essa é uma das conclusões do relatório Distimo sobre o desempenho das lojas de aplicativos nos Estados Unidos no último mês de março, divulgado nesta quinta, 28. 

O estudo indica 134 mil aplicativos gratuitos na loja do Android contra 122 mil programas grátis na loja do iPhone. Se compararmos, entretanto, o volume total de aplicativos, a App Store, da Apple, ainda é, de longe, a maior loja de aplicativos com 333 mil títulos para iPhone, contra 206 mil do Android Market. Isso significa que o número de aplicativos pagos da loja do Google não chega a um terço do total de aplicativos pagos da App Store.

Vale notar que a Distimo separa as lojas do iOS para smartphones e tablets da Apple, enquanto as lojas dos demais sistemas operacionais não apresentam essa divisão. A App Store para iPad tem um total de 76 mil aplicativos, dos quais mais de 20 mil são gratuitos. Entretanto, não de podem simplesmente somar os números das duas lojas da Apple, pois haveria aplicativos contados em duplicidade. Dos 76 mil aplicativos para iPad, apenas 34 mil foram desenhados exclusivamente para o tablet. O volume total de aplicativos para iOS, de acordo com a Distimo, é de 367 mil títulos.

Outro dado interessante é que os top publishers do iPad já desenvolvem conteúdos para outras plataformas: 58% dos 50 desenvolvedores mais populares já criaram aplicativos para outras plataformas.


Ranking

O ranking de lojas de aplicativos para dispositivos móveis nos Estados Unidos em março permanece liderado pela App Store para iPhone, com 333 mil títulos, que cresceu 6% no mês em número de aplicativos. Em seguida, vem o Android Market com 206 mil programas, com crescimento de 16%. Na sequência, aparece a App Store para iPad, com 76 mil aplicativos e crescimento de 12%.

Em quarto lugar, fica a Ovi Store, da Nokia, com 30 mil aplicativos para o sistema Symbian e crescimento de 10% em relação ao relatório do mês anterior. Na quinta posição, a BlackBerry App World, da RIM, cresceu 21% e fechou março com 27 mil itens. Em seguida, vem a Getjar, uma loja independente com programas para Android, BlackBerry, Windows Mobile, iPhone e Symbian, com 20 mil aplicativos e crescimento de 3%. Só então vem o Windows Phone 7 Marketplace, com apenas 12 mil itens e o significativo crescimento de 38%. Na lanterna, o Palm App Catalog, da HP, tem 6 mil aplicativos e cresceu 3% em março.

Projeções

A Distimo estima que, ao final de junho deste ano, ainda levando em conta apenas o mercado dos Estados Unidos, o Android Market deve reduzir para apenas 40 mil a diferença entre o seu total de aplicativos e o da App Store para iPhone. Essa diferença deve deixar de existir no final de julho, quando o Android vai igualar o iPhone em número de aplicativos.

O estudo estima, também, que, nos próximos seis meses, a BlackBerry App World vai dobrar de tamanho. A loja online da RIM deve ultrapassar a Ovi Store, da Nokia, ainda em maio. Há, por fim, a previsão de que, mantido o ritmo de crescimento, o Windows Phone 7 Marketplace deve ultrapassar a loja de aplicativos da Nokia e a do Blackberry antes mesmo de completar um ano.

Acompanhe tudo sobre:AndroidAppleAppsCelularesEmpresasEmpresas americanasempresas-de-tecnologiaGoogleIndústria eletroeletrônicaiPhoneSmartphonesTecnologia da informação

Mais de Tecnologia

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

O que esperar do balanço da Nvidia, a mais nova queridinha de Wall Street

Quatro operadoras da China se unem para oferecer roaming 5G entre redes

Colher elétrica promete 'temperar' alimento sem utilizar mais sal

Mais na Exame