Pop
Acompanhe:

Celine Dion é diagnosticada com doença autoimune rara; saiba qual

Cantora anunciou diagnóstico pelas redes sociais e teve de cancelar shows marcados para o ano que vem

Celine Dion: cantora tem síndrome da pessoa rígida (SPR) (Edward Berthelot / Colaborador/Getty Images)

Celine Dion: cantora tem síndrome da pessoa rígida (SPR) (Edward Berthelot / Colaborador/Getty Images)

L
Laura Pancini

8 de dezembro de 2022, 12h10

Nesta quinta-feira, 8, a cantora canadense Celine Dion revelou que foi diagnosticada com uma doença autoimune rara chamada síndrome da pessoa rígida (SPR). Ela também é conhecida pelo nome em inglês Stiff-Person Syndrome (SPS).

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

A condição faz com que seus músculos tenham espasmos incontroláveis. Dion divulgou a notícia pelo Instagram, anunciando que terá de cancelar shows marcados para o Reino Unido e a Europa em 2023.

"Há muito tempo venho lidando com problemas de saúde", disse a cantora em vídeo. “Enquanto ainda aprendemos sobre essa condição rara, pelo menos agora sabemos que é isso que está causando os espasmos que tenho”, explicou. De acordo com ela, a doença afeta uma em 1 milhão de pessoas.

"Infelizmente, esses espasmos afetam todos os aspectos da minha vida diária, às vezes causando dificuldades quando ando e não me permitindo usar minhas cordas vocais para cantar da maneira que estou acostumada."

Qual é a doença de Celine Dion?

Celine Dion foi diagnosticada com uma doença autoimune rara chamada síndrome da pessoa rígida (SPR). Ela também é conhecida pelo nome em inglês Stiff-Person Syndrome (SPS), e é comum em pessoas com diabetes tipo 1, tireoidite ou certos tipos de câncer.

Os sintomas incluem rigidez muscular e uma sensibilidade aumentada ao toque, ruído e até sofrimento emocional, que podem causar espasmos musculares involuntários.

A síndrome é considerada uma doença neurológica, já que a medula espinhal é a principal afetada.

Anticorpos atacam as células nervosas da medula espinhal, mais especificamente uma enzima que impede os nervos de superestimularem os músculos. Sem a enzima, os músculos ficam mais tensos e rígidos por conta da alta estimulação.

Não há cura para a síndrome que afeta Celine Dion, mas existem tratamentos que podem atrasar sua progressão.

LEIA TAMBÉM: