Startup fatura R$ 3 mi ao ajudar empresas na volta aos escritórios

A tecnologia da Escala pretende ajudar companhias que desejam gerir melhor seus funcionários, turnos e presença física nos escritórios

Pouco mais de um ano após o início da pandemia e da nova realidade de trabalho remoto, a discussão sobre a retomada às atividades presenciais volta à pauta das empresas, que já investem em reestruturações e adaptações de seus escritórios. Agora, surge um novo desafio: a gestão de turnos e a transição do anywhere office para o modelo de trabalho híbrido.

Uma das empresas a aproveitarem esse cenário é a Escala, startup de recursos humanos que digitaliza a gestão de turnos e posições de trabalho. A empresa, que foi criada e incubada no laboratório de inovação do Hospital Albert Einstein, na capital paulista, - onde começou a operar - agora oferece a tecnologia de gerenciamento para mais de 200 empresas no país.

Com a ajuda de algoritmos, a plataforma define as escalas com base no cumprimento de normas trabalhistas e também nas regras estabelecidas por cada companhia. Segundo Vinicius Lima, fundador da Escala, com a ajuda da plataforma o tempo gasto para a criação de tais escalas cai de dois dias para duas horas. “Com a ampliação dos turnos de equipes médicas e a sobrecarga em hospitais, pudemos ajudar muito o sistema de saúde no último ano e perceber que a digitalização é uma tendência cada vez maior”, diz.

A mudança no paradigma do teletrabalho mudou o foco central da atuação da Escala, segundo Lima. “Tivemos um efeito duplo”, disse. “Muitos hospitais não tinham nenhuma ferramenta de gestão de escalas e plantões e agora passaram a olhar para isso e, ao mesmo tempo, empresas precisam pensar em como gerir o retorno de seus funcionários aos escritórios e precisam também de ajuda para isso”.

 

Os hospitais, grupos hospitalares, clínicas e cooperativas compõem 80% do portfólio de clientes da startup, que fazem uso da solução chamada de “Escala Plantões”. Os outros 20% se dividem entre empresas de diferentes setores como segurança, prestação de serviços, logística e varejo - tendo essas duas últimas categorias sido responsáveis por um grande salto no desempenho da startup no último ano.

 

Na pandemia, a startup desenvolveu um novo produto voltado à área de logística depois de perceber que o software de gestão de plantões estava sendo utilizado, na verdade, para organização da presença de funcionários nos espaços físicos. O novo produto, chamado de escala espaços, foi criado para gerir posições e locais de trabalho flexíveis, e com o objetivo de auxiliar as empresas no retorno presencial aos escritórios, principalmente para cargos administrativos.

A empresa alcançou um faturamento de 3,7 milhões de reais em 2020, um aumento de quase 100% em relação à receita de 2019, de 2 milhões de reais. A intenção é encerrar o ano com 5,5 milhões de reais no caixa. O bom momento deve ajudar a HRtech a alcançar essa meta. De acordo com uma pesquisa da consultoria Robert Half, 95% dos executivos apoiam equipes híbridas e afirmam que elas são uma certeza para o futuro do trabalho.

Saiba o que acontece nos bastidores das principais startups do país. Assine a EXAME 

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também