Volvo prevê ano difícil em 2013

Controlada por grupo chinês, Volvo encontrou dificuldades até na China, uma das maiores esperanças da empresa para acabar com os sucessivos prejuízos pelo mundo


	Volvo: no ano passado, a marca vendeu 421.951 veículos, ante 449.255 unidades comercializadas em 2011
 (Divulgação)

Volvo: no ano passado, a marca vendeu 421.951 veículos, ante 449.255 unidades comercializadas em 2011 (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 8 de janeiro de 2013 às 14h16.

São Paulo - A Volvo admitiu que espera encontrar sérias dificuldades em 2013, após amargar uma queda de 6,1% nas vendas mundiais em 2012.

Controlada pelo grupo chinês Geely Automotive, a Volvo encontrou dificuldades até na China, uma das maiores esperanças da empresa para acabar com os sucessivos prejuízos pelo mundo. No ano passado, a marca vendeu 421.951 veículos, ante 449.255 unidades comercializadas em 2011.

“A competitividade na indústria automotiva continuará feroz como em 2012, à medida que as montadoras buscarão meios para elevarem suas participações de mercado enquanto a situação da economia mundial permanecerá instável”, declarou a Volvo.

A ex-marca escandinava pretende investir 11 bilhões de dólares nos próximos anos para duplicar seu volume de vendas anuais, chegando a 800 mil unidades comercializadas por ano até 2020.

Na China, a Volvo espera vender 200 mil veículos, incremento significativo frente às 41 mil unidades emplacadas por lá no ano passado. A construção de uma nova fábrica em Chengdu será peça fundamental para fortalecer o crescimento da marca no maior mercado de automóveis do mundo.

Mais de Negócios

Cartão de crédito consignado: o que é, como funciona e quem pode contratar

O coworking que eles criaram na garagem de casa supera a pandemia, faz R$ 10 milhões e vai expandir

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação de 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Mais na Exame