• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

Volkswagen põe 2,5 mil empregados em férias coletivas por falta de peças

Segundo comunicado do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, escassez de semicondutores e outros componentes obrigou que montadora afastasse 55% dos funcionários da área de produção
Fábrica da Volkswagen: funcionários ficarão fora da companhia entre 9 e 28 de maio (Getty Images/Sebastian Kahnert/picture alliance)
Fábrica da Volkswagen: funcionários ficarão fora da companhia entre 9 e 28 de maio (Getty Images/Sebastian Kahnert/picture alliance)
Por Luciana LimaPublicado em 03/05/2022 19:18 | Última atualização em 06/05/2022 10:52Tempo de Leitura: 1 min de leitura

Sofrendo com a falta de componentes, a Volkswagen irá colocar 2,5 mil funcionários da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) em férias coletivas.

A informação foi comunicada pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e confirmada pela Volkswagen nesta terça-feira, 3.

Segundo a nota, os metalúrgicos ficarão ausentes por 20 dias, de 9 a 28 de maio. Atualmente, a fabricante alemã conta com 8,2 mil trabalhadores, sendo 4,5 mil que atuam apenas na produção. Ou seja, a paralisação afetará 55% dos empregados da área fabril.

VEJA TAMBÉM

Volkswagen vai reduzir modelos e focar em carros premium, diz diretor

Plano da Toyota é deixar São Bernardo e vender fábrica

A crise dos chips, que começou em meados de 2021, se agravou devido à guerra na Ucrânia. Porém, agora, outras peças e componentes também estão se tornando escassos, começando a afetar a produção da montadora.

Em abril, a Mercedes-Benz também precisou recorrer às férias coletivas, afastando 5,6 mil trabalhadores das fábricas de São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG) sobretudo em razão da falta de semicondutores.