Acompanhe:
seloNegócios

Volkswagen anuncia suspensão de 800 funcionários 7 dias após fim de programa de subsídio a carros

Acordo entre montadora e sindicato dos metalúrgicos prevê layoffs de até cinco meses desde que mantidos os empregos

Modo escuro

Continua após a publicidade
A suspensão do contrato de trabalho, de acordo com o sindicato, vale apenas para a planta da Volwswagen em Taubaté, e terá início em 1º de agosto (Alexander Koerner / Correspondente/Getty Images)

A suspensão do contrato de trabalho, de acordo com o sindicato, vale apenas para a planta da Volwswagen em Taubaté, e terá início em 1º de agosto (Alexander Koerner / Correspondente/Getty Images)

A Volkswagen comunicou ao Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté (Sindimetau) na sexta-feira, 14, que fará um layoff (suspensão de contratos de trabalho) de 800 dos cerca de 3,1 mil funcionários da sua fábrica de Taubaté (SP), cidade a 130 quilômetros de São Paulo.

A decisão, divulgada pelo sindicato nesta segunda, ocorreu uma semana após o fim do programa federal de subsídios a carros populares, que teve 125 mil carros vendidos.

Suspensão

A suspensão do contrato de trabalho, de acordo com o sindicato, vale apenas para a planta da Volwswagen em Taubaté, e terá início em 1º de agosto. O anúncio ocorre no marco de um acordo coletivo que garante a possibilidade de layoffs, desde que mantida a estabilidade dos funcionários da fábrica até 2025. O documento foi assinado em 2020 e renovado no ano passado.

Procurada, a Volkswagen ainda não se manifestou. Uma suspensão anterior, que havia sido anunciada pela marca em junho, foi revogada em meio ao lançamento do programa de descontos para carros por parte do governo Lula.

O programa foi lançado em junho prevendo descontos de R$ 500 milhões para carros, R$ 700 milhões para caminhões (dos quais R$ 100 milhões foram solicitados) e R$ 300 milhões para vans e ônibus (R$ 140 milhões solicitados). Houve, ainda, mais R$ 300 milhões liberados pelo governo federal para carros leves. Esses montantes foram convertidos em créditos tributários às montadoras, o que significa renúncia fiscal.

Para o secretário-geral do Sindicato, Aldrey Candido, o programa federal retardou a decisão das suspensões, mas foi insuficiente. A categoria critica a alta taxa de juro como fator preponderante a justificar a demanda mais fraca por veículos leves.

A planta da Volkswagen em Taubaté foi fundada em 1976 e produz os modelos de entrada da marca, justamente os mais beneficiados pelos descontos do programa de subsídios a veículos.

"Os juros ainda estão muito altos. Uma taxa de 13,75% não viabiliza os financiamentos de veículos, a parcela não cabe no bolso do consumidor, e isso afeta negativamente a demanda", diz Candido

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Gestão de Riscos: o principal pilar para a governança da sua estratégia de negócio
seloNegócios

Gestão de Riscos: o principal pilar para a governança do seu negócio

Há 4 horas

Da infância sem luz a receita de R$ 100 milhões, o paranaense que popularizou a cama box no Brasil
seloNegócios

Da infância sem luz a receita de R$ 100 milhões, o paranaense que popularizou a cama box no Brasil

Há 4 horas

Além do macarrão: Spoleto aposta em franquia de pizza e cliente vai "criar seu prato"
seloNegócios

Além do macarrão: Spoleto aposta em franquia de pizza e cliente vai "criar seu prato"

Há 20 horas

Ricardo Bellino leva líderes empresariais ao mosteiro Zen para aprender nova abordagem de liderança
seloNegócios

Ricardo Bellino leva líderes empresariais ao mosteiro Zen para aprender nova abordagem de liderança

Há 23 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais